Política local 01/05/2010

“Vamos dar um baile na oposição nas urnas, na eleição deste ano”.

Previsão do prefeito de Rio Branco, Raimundo Angelim (PT).

Caminho certo
Estava ontem entrando no carro, após cobrir o ato de lançamento dos candidatos majoritários da FPA, quando fui abordado por um simpático velhinho, que se apresentou como Teodoro Quintela, 72, morador da Estrada do Amapá. Puxou um exemplar da GAZETA e revelou: “sou seu leitor porque você não vive puxando saco, critica quando tem que criticar, sem medo”. A revelação, longe de me envaidecer, me deixou convicto que a coluna está no caminho certo.

Mudar a imagem
O deputado Edvaldo Magalhães (PCdoB) tem, ao longo do mandato de presidente da Aleac, adotado posições para criar uma imagem de um político equilibrado e não mais panfletário.

Fogo na reunião
Mas, ontem, o Binho ao usar palavra no ato da FPA, jogou por terra todo este longo trabalho,   ao referir-se ao Edvaldo Magalhães como: “um incendiário que apaga fogo com gasolina”.

Poucos sabem
Poucos sabem, mas até ontem à noite o segundo suplente de Jorge Viana era o pastor Afonso Geber (PSB), mas acabou levando uma rasteira do Gabriel Maia (PSB) no bater da meia-noite.

Mal aceito
Segundo uma fonte do PSB, Gabriel Maia, que é presidente do partido, teria articulado a derrubada de Afonso Geber, sob o argumento que seu nome seria mais palatável à FPA.

Discursos equilibrados
Um ponto positivo deu para se ressaltar nos discursos de ontem no ato da FPA: os oradores trocaram as críticas à oposição por falar do que foi feito e o que irão fazer num novo governo.

Governo arrojado
Pelo discurso do senador Tião Viana (PT) ficou claro que se ganhar a sua gestão  vai manter a linha ambiental, mas fará uma administração mais arrojada e mais desenvolvimentista.

Força do prestígio
 Jorge Viana mostrou prestígio no meio ambiental internacio-nal. Levou à reunião de ontem a ambientalista Danielle Mitterrand, esposa do ex-presidente da França, François Mitterrand.

Discurso de apoio
A simpática senhora fez questão de usar da palavra ressaltando apoio ao projeto da FPA, em francês, com tradução imediata do seu secretário particular.

Perda de tempo
Consta que o deputado Nílson Mourão (PT) foi escalado para conversar com ministros do TSE para tentar reverter a cassação do ex-prefeito Nílson Areal, numa pura perda de tempo.

Novos tempos
Por uma dessas ironias do destino, Mourão chegou na Assembléia Legislativa a pedir a prisão de Nílson Areal, quando este era um dos dirigentes da Fundação Hospitalar do Acre.

Relembrando
Ano passado a coluna deu em primeira mão que Nílson Mourão seria o primeiro suplente de Jorge Viana. O presidente do PT, Leo Brito, deu até nota oficial atribuindo a nota a fofocas.

E agora, Leo?
Pois bem, ontem, quando o deputado federal Nílson Mourão (PT) foi apresentado como o primeiro suplente do Jorge Viana, só me restou olhar para o Leo e dar uma risada irônica.

Condição de apoio
Uma das condições do prefeito Wando Torquato (PP), jogado pelos cantos ontem na festa vermelha, para subir no palanque da FPA, consta, é não ter ninguém do PCdoB na hora.

Para que?
O deputado Moisés Diniz (PCdoB), ao saber numa roda de deputados na Aleac da exigência, perguntou: “e alguém vai querer um prefeito com 48% de rejeição no palanque em Tarauacá?”

Metade do investimento
Se a candidata a deputada federal Antonia Lucia (PSC) tiver metade dos votos dos investimentos financeiros que vem fazendo em pastores e no meio evangélico está eleita.

É o problema
O problema é que Antonia Lucia é igual a história do besouro mangangá, que ronca muito e tem vôo curto. Em toda a eleição faz uma zoada danada, mas não consegue se eleger a nada.

Não tirem da lista
Não tirem da lista dos fortes candidatos a deputado estadual no grupo da FPA o ex-prefeito de Rodrigues Alves, o “Deda”, que além de votos no Juruá pode ser bem votado no Vale do Acre.

Político esperto
O “Deda” é daqueles políticos que dá cambalhota em fio de navalha sem se cortar para conseguir votos.

Boa escolha
Pelo seu caráter, qualificação, foi acertada a escolha do médico Carlos Beirute (PTB) para integrar a segunda suplência da chapa de Edvaldo Magalhães (PCdoB) ao Senado.

Fase do queridinho
Um vereador falava ontem numa roda que a campanha política transforma a vereadora Ariane Cadaxo (PCdoB): “é só sair candidata que perde o mau humor e chama todos de queridinhos”.

Sem ser agradável
Não falo para agradar. Escuto muito. Falo com diversas pessoas. Da oposição e da FPA. Por isso não temo em afirmar que a disputa principal desta eleição será pela segunda vaga do Senado.

Clima de terror
Segundo alguns radialistas amigos, o clima na Difusora Acreana com a posse de Jacira Abdon é de terror. O tempo passa, o tempo voa, cargo de confiança passa com rapidez, pessoal!

Duas situações
São duas forças com armas diferentes na disputa da segunda vaga do Senado. O deputado Edvaldo Magalhães (PCdoB) tem toda estrutura da FPA, de governo, vários prefeitos e deputados, uma soma muito forte; do outro lado o deputado federal Sérgio Petecão (PMN), o mais votado da Capital e que por meros 3% não levou a eleição de prefeito ao segundo turno. Se as intenções de votos caírem nas urnas, não vai ser tarefa fácil a FPA bater o Petecão. 

 

Assuntos desta notícia

Join the Conversation