Política nacional 01/05/2010

“Fazem essas perguntas para a Dilma e para o Serra?”

Presidenciável Marina Silva, do PV, ao ser indagada sobre quem apoiaria no 2º turno.

Caso Vilella: cartas reforçam suspeita da polícia
Ao realizar busca e apreensão, a Polícia Civil do DF apreendeu cartas da filha Adriana aos pais Maria e José Guilherme Villela, assassinados há oito meses com 73 facadas, junto à empregada, em Brasília. Fontes policiais afirmam que tais cartas se referem ao patrimônio das vítimas e, em tom agressivo, podem até ser consideradas ameaçadoras. A apreensão dessas cartas levou a polícia a considerar Adriana suspeita.

Desconfiança
Adriana Vilella foi interrogada há duas semanas como “suspeita”, mas a polícia considera que seria prematuro incriminá-la.

Estupefação
O ex-ministro TSE José Guilherme Vilella, assassinado de forma brutal, era um homem cortês e um dos advogados mais admirados de Brasília.

Esquisito
O relacionamento aparentemente distante entre Adriana e a filha, a neta advogada do casal assassinado, também intriga os policiais.

Quem manda
Segundo a polícia, Adriana tem alegado ser inventariante dos pais para limitar a ação da filha, herdeira natural da banca de advocacia do avô.

Políticos fogem
Políticos fogem da Receita Federal como o diabo da cruz, por isso o projeto do senador Cristovam Buarque (PDT-DF), que incluía todos os políticos na “malha fina”, foi rejeitado quase por aclamação na Comissão de Constituição e Justiça do Senado. Previa a inclusão automática na malha fina o imposto de renda de parlamentares, governadores, prefeitos, presidente, ministros, magistrados etc.

Ele ainda se surpreende
Cristovam Buarque ficou chocado com a rejeição do seu projeto sobre malha fina para políticos. Achava-o “constitu-cional e moralizador”.

Plano B
Após o programa do PT na TV, em maio, se Dilma continuar patinando nas pesquisas, João Santana será substituído por Duda Mendonça.

A prioridade de Lula
Lula apressou o jantar com a cúpula do Judiciário, quarta (28), para não perder Flamengo x Corinthians. Se soubesse que seu time iria perder, ao menos comeria a sobremesa. E não teria sido descortês.

Ato falho hermano
Preferindo conversar mais sobre futebol do que azeitar as relações com o Judiciário, Lula chegou a dizer durante o jantar de quarta que Messi é “o melhor do mundo”. Depois corrigiu: “um dos melhores…”. Ah, bom.

Jantar economizado
Na quinta (29), Lula esteve com os senadores governistas. Eram esperados 47, mas apareceram 33. O jantar no Alvorada foi reduzido a coquetel e depois a um despacho em seu gabinete provisório.

Reunião chata
Lula não ficou à vontade, na quarta, com os senadores que o apoiam. O encontro era para definir o calendário de votações importantes. Mas ele se irritou com queixas de que não recebe senadores e em especial com os pedidos que a maioria tentava enfiar nos bolsos dele.

Companheiro
Lula elogiou o governador pernambucano Eduardo Campos por não vacilar na implosão da candidatura de Ciro Gomes a presidente. “É um grande companheiro”, afirmou Lula. Ciro discorda enfaticamente.

Troco de Ciro
Ex-Patrícia de Ciro Gomes, a senadora do PSB anunciou em Fortaleza que disputará a reeleição com aval do ex-marido e em dobradinha com Tasso Jereissati (PSDB). Isso atrapalha o palanque de Dilma no Ceará.

Mr. Lula
Duas cantoras estão à frente de Lula na lista dos cem mais influentes da revista Time: Lady Gaga teve 567.166 votos e Susan Boyle 152.798. O guia de Dilma obteve 8.145, ficando em 47º. Quanta influência…

‘Vai dois pastel aí?’
Em Santos, Dilma e Mercadante pararam num boteco para comer pastéis. Dilma não pegou o quitute gorduroso com as mãos, como todo mundo faz, preferindo o guardanapo. E Mercadante nem se aventurou.

Roda presa
Pelas condições de temperatura, “umildade” e principalmente de pressão, a candidata Dilma arrisca-se a entrar para a História como a viúva Porcina. Foi, sem nunca ter sido.

PODER SEM PUDOR

O erótico Arraes

Anos 60: Miguel Ar-raes governava Pernambuco pela primeira vez e mandou o filho, José Almiro, substituí-lo num comício em Caruaru. Um candidato a vereador, talvez se vingando da ausência ou da língua portuguesa, diz ao microfone no palanque:
– Está aqui no palanque o filho do grande governador Arraes, que deixou as orgias palacianas para se juntar ao povo!

 

 

Assuntos desta notícia

Join the Conversation