Política nacional 14/05/2010

“Não conheço eleitores de Dilma Rousseff”.

Sérgio Guerra, coordenador da campanha tucana, que também “não gosta” da petista.

Receita afasta servidores, o elo mais fraco
Sobrou para os servidores da Coordenação-Geral de Pesquisa e Investigação da Receita Federal, que apenas cumprem ordens. Ontem eles foram afastados do trabalho por quinze dias, enquanto superiores tentam identificar fontes da notícia desta coluna sobre a investigação fiscal de oficiais do Exército, o que é ilegal, ordenada em 18 de janeiro pelo Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República.

Sem testemunhas
O afastamento dos servidores da área de Investigação da Receita pode facilitar o sumiço das provas, até porque não haverá testemunhas.

Digitais virtuais
O pedido de investigação fiscal tinha a assinatura eletrônica do chefe de gabinete do general Jorge Félix, ministro-chefe do GSI.

Documentado está
Para ordenar a devassa, o GSI usou o sistema “Note” de comunicação entre ministros, e por ele recebeu o resultado às 18:56 de 23 de março.

Ousadia
Quando a violação do sigilo foi solicitada, permaneciam na ativa três dos quatro generais investigados pela Receita sem ordem judicial.

Órgão da Presidência…
O Instituto Nacional de Tecnologia da Informação, da Presidência, alugou, como esta coluna revelou em 2008, uma “pétala” (quase um andar) de 635 m² no Centro Empresarial Varig, em Brasília, por R$ 30 mil/mês. O contrato foi renovado dia 26 passado sem licitação, desta vez por R$ 35 mil/mês: aumento de 12,5%, bem acima da inflação. O imóvel é ocupado pelo diretor Renato Martini e alguns servidores.

Não sabia
Em maio de 2008 a assessoria da Presidência, a exemplo do chefe presidente, disse que “nada sabia” do aluguel do ITI.

Palanque de ouro
Alagoas é um dos estados mais pobres, mas terá a campanha mais cara do país: a de deputado federal é estimada em R$ 10 milhões.

‘Diga 45’
O presidente do PSDB, senador Sérgio Guerra (PE), faz check-up antes de ini-ciar sua campanha para deputado federal.

Cid dilmou
No Ceará, o governador Cid Gomes (PSB) ainda se diz magoado com a humilhação imposta pelo PT ao irmão Ciro Gomes, mas bateu o martelo: vai apoiar a candidatura de Dilma Rousseff para presidente.

Ministro brasiliense
Arthur Vidigal de Oliveira, 49, que assumiu a responsabilidade de substituir o ministro Flávio Bierrenbach no Superior Tribunal Militar, é o primeiro nascido em Brasília a integrar um tribunal superior.

Tropa de choque
O deputado Alberto Fraga (DEM-DF), coronel da PM, cuja mulher o comparava ao Capitão Nascimento, de “Tropa de Elite”, ficou arrasado ao saber que no “Tropa 2” chama-se “deputado Fraga” o político que é cúmplice das milícias. A Câmara tentará embargar o filme na Justiça.

Isolamento
José Pimentel (PT) insiste em disputar o Senado no Ceará, mas está feia a coisa: pesquisa do Jornal do Cariri revelou que só 4 dos 31 prefeitos da região o apóiam. Trinta preferem Eunício Oliveira (PMDB).

Problema de gestão
O tucano José Serra disse ontem à Rádio Jornal, do Recife, que o governo Lula tem um problema de gestão: “É impossível uma empresa funcionar bem com tanto troca-troca e a Infraero é um exemplo disso”.

Contra o peleguismo
Subjugado pelo governo, sindicalismo perde a essência, a defesa de sua base. A advertência contra o peleguismo é de Lourenço Prado, presidente da Contec, a confederação dos trabalhadores em crédito.

Continua irregular
A Lei de Diretrizes Orçamentárias para 2011 prevê que obras do governo Lula, mesmo sob suspeita, continuarão até que sejam exauridas todas as medidas administrativas para paralisá-las.

Vice no Supremo
Está nas mãos do ministro Carlos Ayres Britto, no Supremo, o inquérito 2960, que indicia o vice-presidente José Alencar. O processo soma de 496 folhas trata de crimes contra o patrimônio e estelionato.

Perguntar não esfria o pé
O presidente Lula não pretende visitar a Seleção Brasileira antes da Copa do Mundo. É falta de tempo ou precaução?

PODER SEM PUDOR

Tempo de viagem
Um dos maiores tribunos que já passaram pela história recente do Congresso, o senador Fábio Lucena (AM) encontrou certa vez o publicitário Ruy Nogueira num vôo da Cruzeiro do Sul, entre Brasília e Manaus. Após os cumprimentos de praxe, ouviu a pergunta:
– Quantas horas até Manaus, senador?
– Em horas eu não sei – respondeu – mas em doses são seis uísques…

Assuntos desta notícia


Join the Conversation