O dia “D” da democracia

É comum se ouvir em rodas de conversas políticas a seguinte frase “A eleição de muitos são compradas no dia da votação”! Observe que é deste preço que está sendo ofertada  um bom pedaço da nossa tão sonhada democracia, contudo, apesar dos pesares, o Brasil que comemorou o direito de ser um país democrático, nitidamente melhorou, evoluiu bastante, temos mais escolas, mais universidades, mais empregos e renda, e os programas sociais e o sistema único de saúde, mesmo com suas limitações, pode se considerar um avanço nas políticas chamadas de inclusão social.

Do mesmo modo, podemos  dizer com segurança, que as instituições públicas adquiriram maturidade, e de maneira transparente  estão à disposição da sociedade, e por fim, garantir que a força do trabalhador brasileiro, associado as nossas riquezas naturais, nos proporciona uma economia considerada privilegiada, para afirmar com precisão  que o Brasil não é um país pobre, porém, injusto com muitos de seus compatriotas. Com isso, trazendo à porta das instituições e da sociedade, um sentimento contraditório de que o Brasil  não é de todos  nós e sim,  para poucos.

Dito isto, façamos uma pergunta para reflexão, e a nação verde e amarela que lutou por democracia, evoluiu em sua percepção política? Está cuidando bem dessa democracia?  Vota com critérios da boa escolha? Quantos rejeitam a política e dizem “não tenho nada a haver com isso, esta carga não me pertence”. A resposta fica com Vossas senhorias nobres eleitores (as) os grandes senhores (as) da história.

Igualmente, nesse contexto de convicções ideológicas, desilusões, e selvageria política, trago para o baile desse momento de festa cívica, uma realidade plausível e consciente, que sustentam todas as nossas esperanças, me referencio, “ao Estado Democrático de Direito” este sim, é um fato concreto, e exige de todos nós, uma postura descente, que homenageie o futuro de nossas crianças, e os valores éticos, como um patrimônio valioso do estado brasileiro, com um entendimento claro que tudo isto, é para o bem social das pessoas que estão em campo, e a vitalidade moral das instituições que estão em cheque.

E ademais com uma lição evidente, que a lógica de uma democracia representativa, não aconselha ninguém querer ser líder de um povo, e ao mesmo tempo maltratá-lo e roubar os seus melhores sonhos, a altivez de um povo, é um templo sagrado, devemos rigorosamente respeitá-lo, é perverso, ridículo, vergonhoso, enganar e humilhar aqueles por quem temos um dever moral de lutar pelo seu bem-estar e sua dignidade, ser líder representa ter seguidores, e ter seguidores, significa dizer; carregar nos ombros o medo da desonra, e é por conta deste sagrado respeito, que desejamos que a voz do nosso povo, seja um hino da esperança pelo voto consciente, que promova em nosso eleitor, a importância da sua decisão na hora de votar, que conclamem os Acreanos, esse povo, honrado, bondoso, e trabalhador, a plantar uma boa semente em homenagem a democracia; escolhendo para lhes representar aqueles que enxergam a vida com os olhos da sinceridade, e da fraternidade, e que gostem bastante do Acre, para cuidar do nosso maior patrimônio que são: a nossa terra, o nosso povo, e sua valorosa história. Que digam a todos, que a democracia não é uma barriga de aluguel, é uma mãe legítima de todos nós, assim sendo, devemos protegê-la dividindo responsabilidades, Precisamos cada vez mais qualificar e engrandecer a casa do povo, a mais importante em um regime democrático, todavia, reconhecendo que Isto é possível, se os nossos eleitores, não se iludirem com os aproveitadores, os semeadores da corrupção, aqueles que sempre fogem das lutas, e nas eleições aparecem querendo ganhar na base dos golpes, “exatamente aquilo que muitos serenamente dizem ganhar no dia D”.

E para não medir as palavras, um exemplo desses golpes, é o “cínico cadastramento do título do eleitor com uma promessa de trabalho nas famosas bocas de urnas,” ora, essa atitude malvada, vem acompanhada de uma máscara para disfarçar a compra de votos no dia das eleições. Reflitam que esse gesto desprezível, grosseiro, criminoso e covarde; acabrunha, desmoraliza e humilha exatamente quem está com enorme responsabilidade de decidir os interesses de toda uma população, que em um país democrático é o eleitor.

Entendam que não sou contra quem deseja ir para as ruas defenderem seus candidatos no dia das eleições, entretanto, ressalto que o dia “D” das eleições, é um dia de festa cívica, é um dia para celebrar a democracia, e garantir um direito de escolher livremente os nossos representantes, por conseguinte, em atenção a este momento de escrever a história da nossa democracia, avalio que qualquer convite para trabalhar tendo que cadastrar o seu título eleitoral, como forma de cabresto, intimidação, e terrorismo, não pode ser visto como um honroso convite, esse chamado  com esses moldes, não pacifica o nosso povo, ele só prestigia a corrupção, é um ato ofensivo e discriminatório, pois tratam os iguais de forma desigual, não aceite cair nesta armadilha, esta esperteza é uma fraude e um deboche para com a inteligência humana, não devemos permitir essa truculência, ninguém merece receber esse atestado de pobreza moral.

Dito isto, esteja atento, muito cuidado para não colocar os seus pés em uma areia movediça, não dê poder para quem deseja diminuir o poder do povo, trabalhe com consciência, venha às urnas, e dê o poder para quem evidentemente você conhece e acredita que é merecedor, quem de fato seja um defensor de um estado forte, que trabalhe com zelo, transparência e lealdade, por uma sociedade com mais bem estar, prosperidade e dignidade.

 Caso contrário, vamos continuar ouvindo o sermão do nosso povo, “que tudo está errado, que nada presta, e que a política só tem corruptos”. E o mais estressante, ter o dissabor de pagar altos salários, para ver os arrogantes, serem chamados de EXCELÊNCIAS, e trabalhar em nome do Poder Legislativo, com um chicote apontado para o lombo de seus cidadãos. (as) Reflitam que o Brasil deseja está entre os mais potentes do mundo, nesse passo, temos que caminhar com as instituições democráticas fortalecidas, que lutem por uma sociedade que não sofra a dor da injustiça, considerada a maior de todas as dores.

Ao dizer isto, digo por fim, homenageiem um Brasil para mais brasileiros, reconhecendo que o voto livre e consciente é; o coração da democracia, a caminhada de mãos dadas com as leis, o brilho no nosso olhar, a festa onde todos são convidados a entrar pela porta da frente, a liberdade falada, a manifestação maior da liberdade política, um instrumento da democracia construído pelo cidadão. Todavia, fazendo uma leitura do futuro que; “Desenvolvimento não combina com retrocesso” por essa máxima razão, devemos todos batalhar por uma sociedade ativa e participativa, com auto- estima, respirando com autonomia de pensamento, adquirindo gosto pela cidadania, e entendendo que; se esquecer quem somos, os outros nos fará de qualquer coisa, levando o nosso heróico povo, manso de coração, e que dormem o sono dos justos, para o caminho da miséria moral, política, econômica e social. 

* Chicão  Brígido é militante político – PTB, ex-vereador e ex-deputado federal.

Assuntos desta notícia


Join the Conversation