Estrelão, Náuas, Galo e Plácido são os semifinalistas do Acreano

Com duas equipes já classificadas – Rio Branco FC e Náuas EC -, restava saber quem seria as outras duas equipes a se garantirem nas semifinais do Campeonato Estadual Acreano. A vitória do Plácido e a derrota do Juventus, definiu os quatro clubes que irão se enfrentar.

A rodada teve início com a goleada do Náuas sobre a Adesg, por 5 a 0, depois o já rebaixado Vasco venceu o Independência por 4 a 3. No entanto o resultado que mudou o G4, assim como os classificados para a fase decisiva foi a vitória do Alto Acre sobre o Juventus, por 1 a 0. Quem se beneficiou diretamente com esse resultado foi o Plácido, que goleou o Andirá, por 4 a 0. Em um clássico aberto, o misto Rio Branco conseguiu virar o placar sobre o Galo, para 3 a 2.

Náuas 5×0 Adesg – Querendo o primeiro lugar na tabela de classificação o Náuas partiu para cima da Adesg para conseguir o resultado que lhe interessava: a vitória. E dois nomes fizeram o que era preciso para assegurar o objetivo, Emerson e Neto Manauas, autores dos cinco gols na goleada sobre o representante de Senador Guiomard.

Embaixo de chuva, o Náuas marcou o primeiro somente aos 23 minutos, após muita insistência. O início da jogada foi em lance individual de Coita que cruzou para Emerson completar. O goleiro Coita ainda triscou, insuficiente para mudar a direção da bola que parou no fundo das redes. Pouco depois foi a vez de Neto Manaus arriscar e acertar uma bomba da intermediária, vencendo novamente o goleiro Coita, ampliando para 2 a 0.

Começa a etapa final e o Náuas não tira o “pé do acelerador”. Neto Manaus emendou o cruzamento e fez 3 a 0. Em contra-ataque, a dupla mostrou entrosamento e Neto deu assistência para Emerson ampliar o placar em 4 a 0. Mostrando que não se pode falhar na frente do “matador”, Emerson aproveitou sobra para sacramentar o “caixão” da Adesg, em 5 a 0.

Independência 3×4 Vasco da Gama – A grande sensação do início do Campeonato, o Independência, contra o já rebaixado Vasco, poderia se imaginar que o total favoritismo seria do tricolor. Mas não foi isso que aconteceu dentro de campo, tanto que a vitória ficou com o representante da “Fazendinha”.

Logo aos 16 minutos, Neiber deu assistência de primeira para Vitor que chutou travado o gol. A bola entrou mansamente para fazer o primeiro do Independência. Aos 30 minutos o Vasco empata com Belagoia, que domina na área e emenda uma bomba. O primeiro tempo ainda reservava um belo gol de Ayrson, emendando de fora e acertando o ângulo de Mococa, virando para o Vasco, em 2 a 1.

Calafate entra forte em Calafate e acaba expulso logo aos 7 minutos da etapa final. O Vasco se aproveita para ampliar em cobrança de falta rea-lizada por Cleber que passa por todos e acaba no fundo da rede: 3 a 1.

No entanto qualquer vantagem numérica em campo acaba no pênalti sofrido por Vitor, que resulta na expulsão de Raisan, após segundo cartão amarelo. O próprio Vitor cobra e desconta para o Tricolor. Bem aos 44 minutos, Caio dá assistência para Cleber que ainda escolhe o lado para deixar o Vasco, com 4 a 2, mas no último minuto Júlio César sofre penalidade para o tricolor que Vitor bate e deixa números finais: 4×3.

Alto Acre 1×0 Juventus – O Juventus não dependia de ninguém para se classificar para as semifinais. Era vencer e entrar, no mínimo, na 4ª colocação do G4 e garantiria o atual campeão Estadual nas semifinais.

Porém, mesmo reforçados com os meia Neilson e, no banco, o atacante Douglas, o “Clube do Povo”, acabou surpreendido por um Alto Acre aplicado tanto tecnicamente, quanto taticamente. E foi o artilheiro da equipe da fronteira, Elenilson, quem acabou fazendo o único gol da partida, encerrando a possibilidade de continuação das duas equipes.

Plácido de Castro 4×0 Andirá – O Plácido precisava da vitória e ainda torcer contra um dos dois adversários diretos, no caso o Tigre da Fronteira venceu e contou com a derrota do Juventus para comemorar a classificação. Se o jogo teve um nome foi do atacante Nilton Goiano que, apesar de ser o 3º na briga pela artilharia, tem o melhor percentual de aproveitamento em jogos.

O atacante fez de tudo que é jeito. O primeiro chutando de fora, o segundo e o quarto cobrando penalidades sofridas por Willian e Ziel, e o terceiro novamente em chute. Os quatro convertidos por Nilton o deixaram com nove gols, apenas dois atrás de Ju-liano César (Rio Branco) e um de Leonardo (Atlético), todos também classificados para a próxima fase.

Rio Branco 3×2 Atlético Acrea-no – Todos que prestigiaram o clássico entre Rio Branco e Atlético Acreano chegaram a imaginar que o time misto do Estrelão iria permitir que o Galo saísse de campo com a vitória. Enganou-se, pois a vitória veio de virada, o torna a “sensação” ainda pior para quem perde, no caso por 3 a 2.

A derrota talvez não tenha sido o pior castigo, pois classificou-se na terceira colocação e enfrenta o Náuas, escapando justamente do Rio Branco na semifinal. O pior mesmo foi que o atacante Ailton e o volante Araújo acabaram expulsos e irão desfalcar o Galo no primeiro jogo da semi.
O Atlético começou melhor, por isso mesmo conseguiu marcar no primeiro minuto, com o zagueiro/artilheiro Iesley, aproveitando cobrança de escanteio. O Galo ainda teve um pênalti sofrido por Ailton, sendo defendido. Leonardo cobrou no canto inferior direito e o goleiro Acosta conseguiu espalmar para o escanteio.

Se o empate não veio, um dos principais responsáveis foi o goleiro Faísca, que em pelo menos três ocasiões precisou fazer defesas arrojadas nos pés dos atacantes do Estrelão. Como, quem não faz, leva, o Galo ampliou com Leonardo, se redimindo em um chute cruzado e rasteiro, fazendo 2 a 0, isso já na etapa final.

A reação teve início com bola parada. Josy cobrou falta e Ivan desviou de cabeça, diminuindo para o Estrelão. Ailton e um minuto depois Araújo foram expulsos do Atlético. Com a diferença numérica, o representante do Segundo Distrito tentou segurar na defesa, mas para infelicidade, na tentativa de cruzamento de Pretinho, a bola desviou em Zidane e deixou tudo igual. O gol da virada veio aos 41 minutos, com Ivan pegando da intermediária, num chute de primeira, indefensável, fechando em 3 a 2 para o Rio Branco.

Assuntos desta notícia


Join the Conversation