Jogadores do Rio Branco vivem clima de revanche para decisão do Acreano

Foram 11 jogos, sendo 10 delas vitoriosas, 34 gols assinalados, tendo sofrido 13 gols, sendo um deles foi justamente na única derrota do Rio Branco FC em todo o Campeonato Estadual Acreano, contra o Náuas EC, na segunda rodada, no estádio Japiim, em Mâncio Lima. Dizer que a decisão entre as duas equipes, valendo o título, será mais um jogo está enganado.

Ainda em 2009, na semifinal do 2º turno, as duas equipes empataram e o representante do Juruá acabou levando nas penalidades, por 3 a 2. Foi justamente isso que motivou um diretor a dizer a celebre frase do futebol: “vencer é questão de honra”.

O sentimento não é apenas da diretoria. Alguns jogadores querem apagar a derrota e, se possível, levando o título junto. “Quem sabe podemos vencer a partida e dizer que a revanche foi concretizada?”, indaga o atacante Juliano César, artilheiro isolado. “Podemos dar a resposta com a vitória e dizer que foi um jogo atípico aquela derrota”, concluiu o goleiro Douglas.

Podendo ganhar mais uma vez oportunidade na equipe principal, Anselmo prefere ser mais moderado. “Revanche, não. O importante é o ritmo que conseguimos, nas partidas, e conquistar o título que nos embalará para a série C”, disse o jovem jogador de apenas 20 anos.

Sem querer se envolver na polêmica, o técnico Tiago Nunes está mais preocupado com a ausência do meia Testinha, que sentiu durante o treino pela manhã no estádio José de Melo. “Ele sentiu um desconforto na parte posterior da coxa e foi poupado”, avaliou, ressaltando que vai esperar até o final de semana para definir a equipe principal.

Lesionado há várias semanas, o lateral esquerdo/direito Ananias finalmente irá passar por uma ressonância magnética para avaliar a extensão do problema que vem afastando dos treinos. “É um jogador importante até mesmo para, quem sabe, o restante da temporada, por isso a importância de sua recuperação”, disse Tiago.

Náuas – Se o Rio Branco tem seus jogadores no Departamento Médico, no Náuas não é muito diferente. O técnico Neneca não contou com o Poló, sentindo o tornozelo inchado, e Doni, fisgada na coxa, passando a ser dúvida para a primeira partida da final. Caso nenhum dos dois consigam entrar, o mais provável é que Batista e Acreano ganhem oportunidade na equipe principal.

No início da semana, a comissão técnica e diretoria fizeram questão de parabenizar os atletas pelo objetivo alcançado e ressaltando o valor da importância que todos tinham, principalmente por poderem ser os primeiros jogadores a levarem um título profissional para o zonal do Juruá. O treino de apronto do Náuas será na sexta-feira e ainda à noite embarcam para a Capital, onde enfrentam o Estrelão no domingo, às 18h.

 

 

Assuntos desta notícia


Join the Conversation