Cantor Xangai se apresenta no Teatrão

Consagrado como um dos grandes nomes da música popular brasileira, o cantor e compositor Xangai, retorna ao Acre depois de quase 20 anos e faz show no teatro Plácido de Castro, no próximo dia 29, às 21h, com pré-show de Álamo Kário. E no dia 30, o cantor se apresenta em Cruzeiro do Sul, no teatro Nauas. O show é realização da MegaTom Produções, com apoio cultural da Rádio Aldeia e Hotel Imperador Galvez.

Eugênio Avelino, popularmente conhecido como Xangai é baiano, ainda aos 18 anos fixou-se com os seus pais na cidade de  Nanuque, no norte de Minas Gerais. Xangai é descendente direto do bandeirante João Gonçalves da Costa, fundador do Arraial da Conquista, atualmente Vitória da Conquista. O show é a realização de uma série de eventos que pretende trazer aos palcos acreanos, nomes da música popular brasileira, sempre com uma atração local. O diretor da Rádio Aldeia diz que o projeto só “É muito bom receber grandes nomes da música brasileira, como Xangai, recentemente tivemos também Vander Lee. E melhor ainda quando acontece essa troca de experiências e a interatividade com a música acreana, e a rádio Aldeia faz questão de apoiar esse tipo de iniciativa”, comenta.

Apontado por muitos como um aglutinador de linguagens do sertão, em 1976, gravou seu primeiro disco, pela CBS, “Acontecivento”, que apresentou como destaque as composições “Asa branca”, o clássico de Luiz Gonzaga e Humberto Teixeira, “Forró de Surubim”, “Marcha-rancho” e “Esta mata serenou”, entre outras. Em 1980, lançou, em conjunto com o primo Elomar, Arthur Moreira Lima e outros, o disco “Parceria malunga”, pelo selo Marcus Pereira. Em 1984 apresentou show no Teatro Castro Alves, em Salvador, acompanhado de Elomar, Geraldo Azevedo e Vital Farias.

Do show nasceu o disco ao vivo “Cantoria 1”, lançado pela Kuarup, no qual interpretou “Desafio do auto da catingueira”, de Elomar, acompanhado do próprio Elomar, “Novena”, de Geraldo Azevedo e Marcus Vinícius, que cantou juntamente com Geraldo e Vital, “Cantiga do boi incantado”, de Elomar, e “Kukukaya”, de Cátia de França. No ano seguinte, com o mesmo grupo, foi lançado o disco “Cantoria 2”. Em 1985, recebeu o prêmio Chiquinha Gonzaga. 

 

Assuntos desta notícia

Join the Conversation