Menores infratores serão profissionalizados pelo CREAS

A Vara Cível de Brasiléia e o Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS) do município firmaram convênio que visa a formação profissional de adolescentes que praticaram atos infracionais. Dessa forma, eles serão matriculados em cursos profissionalizantes como forma de evitar que voltem a cometer delitos.

O Juiz de Direito Substituto Danniel Bomfim responde pela unidade judiciária, a qual acumula a competência do Juizado da Infância e Juventude. “Precisamos pensar em alternativas que garantam a reinserção daqueles que erraram, como cursos de formação, capacitação e qualificação, para que não reincidam em seus delitos. Somente com essa visão poderemos abrir um maior horizonte de oportunidades a nossos adolescentes”, destacou o magistrado sobre a importância da iniciativa.

Os cursos serão ministrados pelo CREAS de Brasiléia na área de cerâmica e marcenaria e atenderão jovens na faixa etária de 12 a 18 anos de idade.

A medida é aplicada nos processos em que o adolescente preenche os requisitos legais para remissão cumulada com medida sócio-educativa no meio aberto. Assim, o magistrado concede a remissão, possibilitando a inclusão do adolescente em um programa comunitário oficial de auxílio, conforme previsto nos artigos 101 e 112 do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) – Lei 8.069/90.  (Agência TJAC)

Assuntos desta notícia


Join the Conversation