PM promove sargentos e recebe carros, motos e barcos

O governador do Acre em exercício, Pedro Ranzi, realizou nesta sexta-feira, 14, a entrega de viaturas, barcos e lanchas para a Polícia Militar em cerimônia que marcou a graduação  de 211 promovidos de terceiro para segundo-sargento pelos critérios de antiguidade e merecimento. Estiveram presentes a secretária de Segurança Pública, Márcia Regina; o secretário de Justiça e Direitos Humanos, Henrique Corinto, o subcomandante-geral da PM, Paulo Cézar; o procurador-chefe do Ministério Público Estadual, Sammy Lopes; o comandante-geral do Corpo de Bombeiros, Flávio Pires; os juízes e auditores militares Denise Bonfim e Elcio Sabbo; padrinhos, amigos e familiares dos promovidos.

coronel_1

A cerimônia foi realizada na frente do Quartel de Comando Geral da PM. “Vejo aqui uma tropa motivada. Parabenizo o Governo do Estado por essa nova visão de segurança pública”, disse Pedro Ranzi, destacando que os processos para graduação foram reduzidos no Tribunal de Justiça – instituição a qual pertence o governador em exercício – em virtude da nova legislação que beneficiou os policiais. No final do ano passado, foi aprovada a lei que reduziu o interstício e trouxe maior qualidade às promoções na PM.

Os 211 novos segundos-sargentos são da capital e do interior e sua graduação foi possibilitada pela aprovação de uma lei no fim do ano passado, com a redução do interstício – o tempo de ocupação de um determinado posto. O grupo passou por curso de qualificação no Centro Integrado de Estudos em Segurança Pública (Ciesp) Francisco Mangabeira, localizado no antigo Centro Administrativo do Estado, unidade responsável pela formação de policiais civis, militares, bombeiros e agentes penitenciários com a nova concepção de enfrentamento à violência – a territorialização das operações. O governador Binho Marques criou as regionais de segurança, o que permite resposta mais rápida e objetiva às demandas da comunidade.

A Polícia Militar do Estado do Acre (PMAC) tem como missão fundamental o policiamento ostensivo e a preservação da ordem pública. Signatária de uma rica história, a PMAC tem seus pilares iniciados em 25 de maio de 1916, quando o Governo Federal criou as Companhias Regionais, que mais tarde foram substituídas pela Força Policial do Território Federal do Acre. Em 30 de junho de 1934, essa unidade dá lugar a Polícia Militar do Território Federal do Acre, denominação que perdurou até 6 de setembro de 1945, quando foi  criada a Guarda Territorial do Acre. Com a promulgação da primeira constituição acreana, em 1° de maio de 1963, o nome da milícia acreana passa a ser Polícia Militar do Estado do Acre.  

“Olhando em seus olhos, vejo a garra e a determinação dos senhores. Parabéns a todos”, concluiu Pedro Ranzi, que ocupa a governadoria em exercício porque o governador Binho Marques se encontra em viagem e há impedimento para que o vice-governador, César Messias, e o presidente da Assembleia Legislativa, Edvaldo Magalhães, possam assumir a função. Ranzi é o terceiro na linha sucessória.

Nova polícia produz conhecimento a partir de demanda social
Vários outros investimentos estão a caminho na PM, Polícia Civil e Corpo de Bombeiros. Em junho próximo será realizada a formatura de 600 novos soldados que atualmente fazem curso no Ciesp, que não é apenas um estabelecimento formador  de profissionais em segurança, mas de cidadãos aptos ao desempenho ético de suas funções como homens públicos. O sistema de segurança pública está desde 2007 com uma nova forma de atuar na segurança, com o  olhar focado numa determinada região e  estratégias integradas.

Os novos segundos-sargentos estudaram durante cinco meses no Ciesp que, conforme explicou o subcomandante-geral da PM, Paulo Cézar, tem a capacidade  de “produzir conhecimento no perfil da demanda da sociedade”.

Mais de R$ 15 milhões em investimentos em pouco tempo
Apenas com essa demanda, que consta de aquisição e adaptação dos veículos, o investimento do Estado é de R$ 1,1 milhão. Somando-se os investimentos dos dois últimos anos, o sistema de segurança pública do Acre recebeu R$ 15.096.927,51, levando-se em conta os recursos obtidos junto ao Ministério da Justiça, BNDES e Tesouro Estadual. Não se faz segurança pública sem investimentos, e eles estão sendo feitos de modo sistemático, especialmente com apoio do Programa Nacional de Segurança Pública com Cidadania (Pronasci), criado pelo Governo Federal com uma nova proposta para a segurança pública no Brasil.

Os resultados desses investimentos e do novo modelo de segurança pública são bons, segundo a PM. “Em 2009, demos maior foco na questão dos roubos, cujo número de ocorrência foi bastante reduzido”, informou o coronel Paulo Cézar.  Em entrevista à Rádio Difusora Acreana. Márcia Regina anunciou ainda a abertura de concurso para policiais civis. O lançamento do edital está previsto para o próximo mês.

Pelotão Fluvial: mais segurança nos rios do Acre
Os onze barcos e lanchas consolidam o Pelotão Fluvial, e prestarão apoio ao policiamento ambiental e de enfrentamento ao tráfico de drogas nos rios do Alto Acre, Purus, Moa e Juruá, além de contar com bases nos rios Tarauacá e Envira, respectivamente nos municípios de Tarauacá e Feijó. O trabalho do Pelotão Fluvial também será integrado, contando com atuação de agentes civis, e bombeiros.

Também está assegurado, após assinatura de convênio entre o Governo do Acre e o Ministério da Justiça, que partir do segundo semestre do ano, o Pelotão de Fronteira começa a atuar de modo sistemático com a Polícia Federal. A unidade contará com 46 integrantes das polícias Civil, Militar e Corpo de Bombeiros, elevando a proteção na região de fronteira do Acre com o Peru e a Bolívia, coibindo a entrada de drogas em território brasileiro.

“Cada vez mais preparada”
Ela tem nada menos que 22 anos de carreira na Polícia Militar do Acre. Esta sexta-feira foi mais um dia de grande felicidade para Maria Leuda, entre os 211 PMs que receberam a insígnia de segundo-sargento. “É uma sensação tão boa que não sei como falar”, disse a militar ao lado de seus familiares. “Cada vez que você sobe na graduação, fica mais preparada”, afirmou, visivelmente emocionada pela conquista.

E o que a sociedade pode esperar dela? “Pode esperar meu trabalho, minha dedicação de mais de vinte anos na Polícia Militar”. (Agência Acre)

coronel_2 coronel_3

Assuntos desta notícia


Join the Conversation