TJAC realiza doação de 800 kg de alimentos a instituições filantrópicas

doa_1

O Presidente do Tribunal de Justiça do Acre, Desembargador Pedro Ranzi, visitou as instituições filantrópicas de assistência social Casa Resgate, Casa Lar Ester e Jovem Peniel, localizadas em Rio Branco.

Acompanhado por Gorete Bandeira, chefe do Centro de Capacitação dos Servidores do Poder Judiciário (CECAP), e pela assessora Glória da Silva, ele realizou a entrega dos alimentos doados como taxa de inscrição no processo seletivo para formação de cadastro reserva de estagiários. Mais de 800 kg de mantimentos foram arrecadados e distribuídos de modo igualitário nas casas de recuperação.

“Como não temos fins lucrativos, dependemos de doações. Ficamos felizes com essa iniciativa do Tribunal, que irá favorecer aqueles que mais precisam, principalmente porque recebemos meninos vindos de todo o Estado. Só queremos agradecer”, disse a Coordenadora da Casa de Recuperação Resgate Rebeca Roque.

Pedro Ranzi conheceu as instalações, conversou com os coordenadores e os abrigados – geralmente meninos e meninas encaminhados pela Justiça e Conselho Tutelar da Infância e da Adolescência como medida de segurança. Boa parte dessas crianças já se envolveu com álcool, drogas, prostituição ou foram violentadas por parentes ou pessoas próximas que freqüentavam suas casas.

“Além de nossa função de julgar, temos a preocupação de estender a mão a quem falhou ou precisa de ajuda, para que tenha uma nova chance de retornar ao convívio de suas famílias. O Tribunal de Justiça tem a missão de promover o bem a toda sociedade. Este é um pequeno gesto que demonstra nossa sensibilidade para a questão social, presente em vários de nossos projetos”, ressaltou o Desembargador.

Recuperação

“Perdi meu emprego, minha esposa e meus filhos. Não tinha mais esperança nem a quem recorrer”. O drama do técnico em contabilidade Jorge Xavier da Silva se confunde com o de milhares de famílias vítimas dos malefícios causados pelas drogas.

Não fosse pela ajuda das casas de recuperação, a história de Jorge, como tantas outras, teria um final trágico. “Eu estava no fundo do poço quando conheci a casa Jovem Peniel, que mudou a minha vida. Claro que não foi do dia pra noite, mas foi aqui que recebi todo apoio e voltei a ter esperança, e uma nova chance de viver, de ser feliz. Hoje sou liberto do vício das drogas, tenho minha esposa e filhos de volta, sou valorizado pela minha família, que não acreditava mais em mim”, disse Jorge da Silva, que hoje trabalha como voluntário no projeto e ajuda outras pessoas enfrentam a mesma situação. (Agência TJ/AC)

doa_2

Assuntos desta notícia


Join the Conversation