Recomeçam hoje as sessões da Câmara no prédio da Funasa

Os problemas de rachaduras no prédio da Câmara Municipal serviram para acelerar o processo de construção da nova sede do legislativo municipal. Ontem, durante visita À GAZETA, o presidente da Câmara, Jessé Santiago (PSB), o primeiro secretário, Juracy Nogueira (PP) e o secretário municipal de Articulação, Márcio Batista, falaram sobre as mudanças. Vereadores333
Jessé Santiago explicou que não haverá mais volta ao prédio antigo. “Nós tivemos 10 dias de paralisação com as rachaduras. Os bombeiros chegaram à conclusão que não deveríamos permanecer naquele local. Com a ajuda do gabinete do senador Tião Viana (PT-AC), através do ministro da Saúde, conseguimos o auditório e algumas salas do prédio da Funasa para realizar as sessões. O Márcio Batista e o presidente da Aleac, deputado Edvaldo Magalhães (PCdoB), também tem nos ajudado. O espaço já está bem adequado e hoje começaremos os trabalhos legislativos municipais. Tudo sem nenhum custo para os cofres públicos. Tantos os funcionários quanto os vereadores estarão no mesmo local”, garantiu Jessé.

O presidente da Câmara também avaliou o andamento da construção da nova sede na via verde. “O prédio antigo será lacrado e haverá um estudo com o Governo do Estado para se ver uma forma de repassarmos recursos para a construção da nova sede. A previsão é sair da Funasa para o novo prédio. Já temos algumas emendas parlamentares em torno de R$ 2,7 milhões. A planta está na fase de conclusão. Ainda este ano começará a construção. Pode ser que o processo eleitoral possa atrapalhar, porque os ministérios ficam com problemas para repasses de verbas, mas acreditamos que começaremos pelo menos o primeiro bloco. Todo o projeto da nova Câmara está orçado em R$ 6 milhões”, afirmou.

Quanto ao destino do prédio antigo, Jessé salientou: “vamos ver se há alguém interessado. O Governo do Estado ou a Prefeitura de Rio Branco podem aproveitar aquele espaço, que poderá ser mantido como patrimônio histórico. Se houver um trabalho concentrado para a retirada das rachaduras poderá funcionar novamente. O problema é que como câmara as sessões provocam um acumulo de pessoas. Mas a nossa esperança é que ainda nesta legislatura estaremos inaugurando o novo prédio da câmara no ano que vem”, afiançou.

Mudança administrativa
O primeiro secretário da Câmara, Juracy Nogueira (PP), já adiantou que não haverá prejuízos no funcionamento da Casa durante o funcionamento do novo local provisório. “Não altera porque a mesa tomou as providências. Pedi a todos os setores para que os processos que estavam em andamento, inclusive, de pagamento do pessoal fossem agilizados. A mudança não afetará em nada o andamento dos processos administrativos internos. Portanto, não haverá nenhum prejuízo e, nesta semana, todos os projetos previstos serão votados”, garantiu.

Andamento político das sessões
O secretário de Articulação, Márcio Batista, ressaltou que as sessões canceladas não prejudicarão o ritmo de votação de projetos de interesse do executivo municipal. “Aproveitamos o período para conversarmos com a base e pautarmos a votação de projetos de interesse do executivo municipal. Paralelamente a prefeitura desenvolveu agendas de inaugurações de creches e entrega de ruas. A base de sustentação orientou seu calendário de trabalho pelas ações da prefeitura. Como o recesso é só dia 15 de julho teremos mais de 45 dias para resolver a produção parlamentar. Vamos fazer um calendário de votação”, destacou.

Márcio Batista também falou dos principais projetos que serão votados na primeira semana de trabalho após o retorno dos vereadores. “Temos três importantes projetos do executivo. Um que cria a dotação orçamentária para o novo regime de previdência para o funcionalismo municipal. Com isso será criado um novo instituto previdenciário. Outro se refere à capacitação dos servidores. Criamos a escola municipal de governo e existe um convênio junto ao BNDES e ao Banco do Brasil e precisamos de uma lei autorizando os recursos para serem destinados. Além das mudanças das regras para a aposentadoria. São projetos prioritários e nós vamos nos reunir para que estejam na pauta desta semana”, finalizou.

 

Assuntos desta notícia


Join the Conversation