Record tem espaço sobrando e pouco trabalho na sua teledramaturgia

É louvável o esforço da Record na área da Teledramaturgia. Um investimento altíssimo a partir da compra dos  estúdios de Renato Aragão, em 2005. Calcula-se que 500 milhões de reais foram investidos até hoje no complexo Recnov, Rio. São 10 estúdios prontos. Só que é justamente neste ponto que a coisa não bate. Desse total, apenas dois atualmente estão sendo utilizados, no caso, para as gravações de “Ribeirão do Tempo”.

Com todo esse poder de fogo, a Record deveria estar gravando mais 2 ou 3 produtos. Deixar boa parte deste espaço às moscas é jogar dinheiro fora. Segundo se informa, vem por aí uma nova minissérie, “Sansão e Dalila” e uma próxima novela, “Rebelde”, que serão realizadas no referido complexo, no segundo semestre. Ainda assim, haverá ociosidade. Principalmente se lembrarmos que o desejo inicial era de ter 3 novelas no ar e outras 3 em gravação – algo bem próximo do esquema da Globo.

E enquanto no Rio há esta sobra, verifica-se que na rua da Várzea, em São Paulo, base da sua geradora, existem dificuldades para acomodar todos os programas. Há, no mínimo, um erro de planejamento.

Novo endereço
 A alta direção da Record está em vias de finalizar a compra de um amplo imóvel na zona portuária do Rio, para instalar a sua emissora carioca, que atualmente funciona em Benfica.

O negócio com a antiga sede da Manchete não foi em frente. Informa-se que pediram muito e o prédio está em péssimas condições.
 
Outra pessoa
 Edmundo, conhecido por inúmeros atritos causados em seus tempos de jogador, tem surpreendido a todos na Band, que passaram a conviver diariamente com ele na África do Sul.
Um profissional que tem se mostrado o tempo todo calmo, prestativo, educado e elegante. Nada que lembre aquele outro.
 
Última hora
 No lugar do Silvio Luiz, riscado da viagem na última hora e, inconformado com isso, ter solicitado a sua demissão na última semana, o canal Bandsports mandou o jornalista Ricardo Capriotti às pressas para a África do Sul.
Diante de tudo isso, em jogos do Brasil, Luciano do Valle deve transmitir para as duas emissoras.
 
Os dois lados
 O “Ídolos” iniciou nova temporada na Record. Esse é um aspecto. O outro, que incomoda determinados setores da Record e da produtora Fremantle, dona do formato, envolve seu apresentador Rodrigo Faro.
Há quem entenda que o trabalho sério no “Ídolos” possa sofrer efeito negativo com os “excessos” cometidos em “O Melhor do Brasil”. Pode comprometer a credibilidade. Não será surpresa se o apresentador botar o pé no freio e, por determinado período, suspender as suas imitações.
 
Ausência
 O merchandising social – recurso utilizado por muitos autores de novelas e cuja ação, quando bem aplicada, traz benefícios ao público – não estará presente na próxima produção do horário nobre da Globo, que irá substituir “Passione”.
Gilberto Braga e Ricardo Linhares, pelo menos até aqui, não pensaram em nada a respeito. 
 
A propósito
 A Globo está com um institucional no ar, destacando as diversas ações sociais promovidas, ao longo de todos os tempos, em suas novelas e programas.
Um trabalho bonito.
 
Novos tempos
 Os tempos são outros. Nada que lembre o Pan de 2006.
Galvão Bueno e Luiz Fernando Lima, diretor de esportes da TV Globo, têm aproveitado todas as horas de folga na África do Sul para jogar golfe.
Quem perde paga o almoço.
 
Não foi por falta de aviso
 Partiram deste espaço os alertas de que algumas emissoras de TV poderiam quebrar a cara com essa ideia de todas exibirem se-riados na faixa das 21 horas. Não deu outra: Bandeirantes e SBT continuam amargando baixos índices.
A Record, por enquanto, é exceção. Mas até quando?
 
Relaxamento
 A imprensa especializada tem sido bombardeada com informações sobre “Ti ti ti”, nova novela das sete da Globo, que estreia em julho. Um trabalho especial em cima.
Mas é sempre bom lembrar que “Tempos Modernos”, do Bosco Brasil, está aí, no ar. Não pode ser esquecida. Nem abandonada. 
 
Base avançada
 Ainda da África do Sul, a Globo é a única, entre todas as emissoras do Brasil, que tem dois estúdios montados em Joanesburgo.
Um no Centro de Imprensa, como todas as demais emissoras, e outro no hotel onde está a seleção.

Assuntos desta notícia

Join the Conversation