Política local 03/06/2010

“Aqui não é igreja, aqui não tem um santinho”.

Deputado N. Lima (DEM), sobre críticas aos duros debates na Aleac.

Constatação fria
Por pouco o clima não voltou esquentar ontem, na Aleac, devido a ameaça do deputado Moisés Diniz (PCdoB) de recorrer à comissão de ética da Casa, caso voltasse ser ofendido pessoalmente. Mas, depois refluiu. Pode-se não gostar do Moisés por qualquer motivo, mas não se pode deixar de reconhecer que debate em alto nível, respeita o contraditório da oposição, a ponto de quando se excede pedir desculpa, e é sim um bom deputado.

Nada mais que isso
Na verdade Moisés Diniz, com sua manifestação, não era a de censurar, mas de repor os ânimos parlamentares na serenidade, no que conseguiu.

Boataria forte
Ontem, era forte a boataria na oposição, de que a presidente do PSC, Antonia Lucia, poderia ser a candidata a vice na chapa de Tião Bocalom (PSDB) ao governo.

Poucos sabem
Se o resultado do “referendo” sobre o novo fuso horário for pela volta do horário antigo, este não entrará em vigor de imediato: voltará ao Legislativo para ser fixada a data da mudança.

Longa temporada
Por isso não esperem que o horário atual, mesmo reprovado, mude tão cedo porque dependerá da boa vontade dos deputados federais e senadores. E aí, ponha tempo!

Convencimento
Após ouvir as ponderações sobre as dificuldades operacionais e jurídicas para o referendo não acontecer, acho que o presidente do TRE, desembargador Arquilau, teve motivo para mudar a data da votação.

Candidatura mantida
O ex-prefeito de Brasiléia, Aldemir Lopes (PMDB), a maior liderança da oposição na região, me disse ontem que sua candidatura a deputado federal está mantida.

Média de votos
Para deputado estadual, com base na sua experiência, acha Aldemir que o máximo que um candidato à Assembléia Legislativa vai alcançar em Brasiléia é em torno de mil votos.

Na pendura
O presidente do TRE, desembargador Arquilau Melo, previu que, se aplicada nesta eleição, a lei que pune os “fichas sujas” poderá pegar e brecar várias candidaturas.

Entre eles
Entre os que seriam alcançados pela lei estará a deputada Dinha Carvalho (PR), recentemente condenada pelo Tribunal de Justiça por má aplicação de verba pública.

Peixe miúdo
A polícia não tem o que comemorar sobre a prisão de “peixes miúdos” no caso da morte do ex-vereador Pinté. Falta prender o pistoleiro e o mandante, sem o que não adianta nada.

Crítica equivocada
O deputado Mazinho Serafim (PSDB) criticou a omissão da PF por não ter prendido até agora o ex-prefeito Nílson Areal. Um lembrete: que manda prender é o juiz e não os policiais federais.

Jogou a toalha
Falando em Nílson Areal, jogou a toalha e tentará ser deputado estadual, com chance diminuta de sucesso, porque disputará só com cobra criada na aliança PT-PDT-PR-PTN.

Candidatura posta
O deputado federal Henrique Afonso (PT) é mesmo candidato à reeleição e já trabalha na montagem da sua campanha. Disputará no chapão da FPA.

Perdeu na Capital
O presidente do Sinteac, Manoel Lima, poucos sabem, perdeu para a soma dos candidatos da oposição na Capital, que chegou a 1.289 votos, contra 1.091 dele.

Foi covardia
Ganhou no interior, onde os demais candidatos não tinham estrutura para chegar e fazer campanha, e foi nesse universo que consolidou sua reeleição para o Sinteac.

Fechou o reduto
O candidato a deputado federal, Sibá Machado (PT), conseguiu fechar o apoio do PT no município à sua candidatura, derrubando as esperanças do concorrente Idésio Frank (PT).

Discriminação odiosa
O prefeito de Cruzeiro do Sul, Wagner Sales, mesmo comandando o segundo município do Acre, continua sofrendo boicote aberto do governo, que rejeita qualquer parceria.

Não passa disso
Deputados da FPA, que costumam acertar em previsões sobre números de eleitos por partido, são unânimes em afirmar que a coligação PT-PDT-PR-PTN fica no máximo com oito vagas.

Outros tempos
Candidatos que estão distribuindo favores, montando esquema de compra de votos, não venham reclamar da Justiça Eleitoral depois de casados, que foram perseguidos.

Milionárias
Alguns candidatos a deputado estadual já estão ostentando campanhas milionárias.

Dando a largada

Com a convenção do próximo dia 10 a FPA dá a saída oficial da sua campanha. No campo majoritário começa de forma cômoda com o candidato ao governo, Tião Viana (PT), largando como favorito, assim co-mo o ex-governador Jorge Viana (PT) para a primeira vaga do Senado.  Tem uma boa chapa para Câmara Federal e igualmente à Assembléia Legislativa. Aliado ao seu maior capital: comando e unidade.  E o jogo começou.

Assuntos desta notícia


Join the Conversation