Política nacional 02/06/2010

“Há vida após o PT”.

Candidata do PV Marina Silva, que deixou o partido depois de 30 anos, em 2008.

Pandora II: empresários e magistrados na mira
APolícia Federal concluiu o inquérito da Operação Caixa de Pandora, mas houve desdobramentos a partir do material apreendido em 27 de novembro passado, no cumprimento de mandados de busca e apreensão. Documentos encontrados com auxiliares do ex-governador José Roberto Arruda provocaram outras investigações. Além de empresários “corruptores”, estão sob investigação até magistrados.

Sentenças
Material apreendido pela PF confirmaria a delação de Durval Barbosa envolvendo um esquema de venda de decisões judiciais.

Os trapalhões
A diplomacia brasileira se supera em mais um (triste) episódio internacional: primeiro condena um lado, depois pede “diálogo”.

Suspense e terror…
O “mala” americano Oliver Stone encontrou ontem a candidata Dilma. Vem aí uma versão aloprada de “A pergunta que não quer calar”?

…para gringos
Aliás, o maleta amigo de Hugo Chávez achou que entrava sem visto na “república bananeira do Brasil”. Deve ter lá suas razões…

DF: coronel-candidato…
Cada vez mais ausente das ruas, a Polícia Militar do DF é eficiente quando cuida dos interesses de sua cúpula. Policiais estão indignados por terem sido usados na segurança da inauguração do comitê eleitoral de um coronel que é candidato a deputado, conforme escala em poder da coluna. O coronel Luiz Fonseca comanda o Policiamento no DF, e faz a “coordenação estratégica de todas as ações policiais ostensivas”.

Velho conhecido
Fonseca esteve na violenta e caricata repressão da cavalaria da PM ao protesto estudantil contra a roubalheira no governo local, em dezembro.

Lorota oficial
A PM não explica a regalia ao coronel-candidato e informa que “qualquer cidadão” pode pedir a proteção da PM. Não é bem assim.

A vida como ela é
Há dias, um oficial da Aeronáutica pediu em vão socorro à PM contra o barulho em um posto de gasolina. Acabou covardemente espancado.

Palocci, o piloto
Antonio Palocci vetou um “caco” de última hora sobre desemprego, que Dilma Rousseff queria incluir no discurso, na homenagem a Henrique Meirelles, em Nova York. Investidores americanos ficaram encantados ao perceberam que o ex-ministro da Fazenda “pilota” a candidata.

Tudo dominado
A pregação atribuída ao reitor da Universidade de Brasília, para fixar cotas para militantes do MST, parece ter sido bem sucedida nas universidades federais do Cea-rá, Goiás e Pelotas (RS).

A quatro olhos
Dois servidores da Secretaria da Igualdade Racial estão em Cabo Verde, África, até sexta (e sábado, claro) por nossa conta, para ver de perto o reconhecimento de “patrimônio da humanidade” de uma cidade.
 
Faltam CNPJ ou CPF
O Banco Central não pôde informar a CPI das ONGs a origem do dinheiro enviado do exterior para entidades que atuam no Brasil por falta de CNPJ ou CPF. Esses números foram solicitados pelo BC em novembro de 2007, mas a CPI, até agora, não os informou.

Olho na Copa
O combate ao crime organizado e a proteção aos cidadãos, antes e durante a Copa de 2014, foram discutidos ontem, na Secretaria de Segurança do DF, em encontro organizado pelo subsecretário de Inteligência do DF, delegado Miguel Lucena.

Senado-mãe
Além de bancar tratamento médico e odontológico de ex-senadores e suas esposas (até R$ 33 mil/ano), o Senado prorrogou esta semana o contrato com o Hospital Santa Helena, em Brasília, por R$ 2 milhões.

Carteirada
O diretor do Instituto Brasília Ambiental, Gustavo Souto Maior, revelou que foi sob pressão de um procurador, Vicente Martins da Costa Jr, um vizinho incomodado, que uma igrejinha de Brasília foi notificada por “poluição sonora” pelo uso do sino. Martins teria “amea-çado” o Ibram.

Aviso
Termina amanhã o prazo para que os dirigentes sindicais que irão concorrer às eleições deste ano se desincompatibilizarem das entidades e organizações em que participam ou dirigem.

Pensando bem…
…a logomarca da Copa do Mundo de 2014 no Brasil faz todo o sentido, e pode ser resumida em uma frase: todo mundo metendo a mão.

PODER SEM PUDOR

Está tudo perdido

O ex-presidente Fernando Henrique está entre os que achavam que o então presidente da Câmara, João Paulo Cunha, nunca teve estatura para o cargo. Ele estava na Europa quando soube por um amigo que Cunha assumiria interinamente a Presidência da República, durante uma viagem de Lula, porque o vice José Alencar estava fora de combate, hospitalizado. FHC achou que o amigo brincava, depois fez olhar de espanto e murmurou:
– João Paulo presidente da República! Meu Deus, é o fim da picada…

Assuntos desta notícia


Join the Conversation