Política nacional 09/06/2010

“(O presidente) deve ser um exemplo no cumprimento da lei”.

Lula defendendo o ‘rigor’ na campanha, após ser multado cinco vezes pelo TSE.

Saúde não espera genéricos e gasta 188 milhões
A menos de seis meses do fim do governo, o Ministério da Saúde comprou dois lotes de medicamentos para transplante de órgãos pagando R$ 99,2 milhões e R$ 88,9 milhões às multinacionais Novartis Bio-ciências e Janssen-Cilag Farmacêutica. O negócio de R$ 188,1 milhões foi fechado apesar de estar sob análise da Agência Nacional de Vigilância Sanitária a liberação de dois genéricos dos produtos adquiridos, o Micofenolato de Sódio e o Tracolimo 1mg.

Sem favorecimento
O Ministério da Saúde negou a intenção de beneficiar as multinacionais Novartis e Jassen-Cilag e ignora a iminente liberação dos genéricos.

Sucesso é apelido
Na França, que ela visita nos próximos dias, a candidata petista terá finalmente o nome ligado à pessoa: será chamada de madame “Dilmá”.

Dá no mesmo
Lula se diz contra vender terras a estrangeiros. Mas deixa que ONGs internacionais administrem imensas áreas indígenas que aprovou.

Escolinha de deputado
A Câmara dos Deputados, quem diria, ensina como fazer CPI… em Cabo Verde, África. Dois especialistas foram lá dar curso de dois dias.

Bancoop
Em depoimento na CPI da Assembléia de São Paulo, o “aloprado” Freud Godoy desmentiu o tesoureiro do PT e ex-presidente da Bancoop João Vaccari Neto. Garantiu que não usava seguranças armados de sua empresa Caso, nas obras paradas da Cooperativa dos Bancários, como disse Vaccari para justificar o pagamento de R$1,5 milhão. Freud que os seguranças apenas “guardaram ferramentas”.

Branco não entra
A Secretaria Especial da Igualdade Racial criou só para negros e pardos 250 bolsas de pós-graduação e 200 para Iniciação Científica.

Multa-fantasma
No Rio, a Supervia foi multada em 0,2% do faturamento por um trem-fantasma que disparou sem maquinista entre duas estações.

Língua postal
Os Correios criaram nova desculpa para encomendas desaparecidas: “não conformidade”, sem explicar qual. Inconformado fica o consumidor.

Uma bronca daquelas
As paredes do gabinete do ministro José Arthur Filardi (Comunicações) tremeram, ontem, durante a conversa dele com o ainda presidente dos Correios, Carlos Henrique Custódio. Mas nada de carta de demissão.

Casa suspeita
Data de 1962, quando fomos bi-campeões no Chile, o último concurso público na Assembléia Legislativa do Paraná, que afunda na corrupção. O Brasil disputa o hexa 48 anos depois, e nada de concurso…

Corredor da morte
O Tribunal Superior Eleitoral informou que não há previsão para julgar Dário Berger, espécie de prefeito itinerante de Florianópolis. As graves acusações contra ele geralmente resultam em cassação de mandato.

Novo embaixador
A Comissão de Relações Exteriores do Senado sabatinou e aprovou ontem Rubem Correa Barbosa, um dos mais admirados diplomatas da sua geração, para o cargo de embaixador do Brasil na Austrália.

Carreira aloprada
Envolvido no imbróglio do suposto dossiê anti-Serra, Valdemir Garetta teria oferecido R$ 4 milhões ao PPS em 2005, para apoiar projetos da então prefeita Marta Suplicy, de quem foi secretário. Ele nega até hoje.

Verão na Europa
Uma chefona de Recursos Humanos e outros quatro altos servidores da Infraero aprendem na França e em Portugal como gerir aeroportos e “atualizar conhecimentos”. Tomara que aprendam até a Copa de 2014.

PODER SEM PUDOR


Raridade no interior
O então deputado estadual Geraldo Magela (PSB) percorria o interior do Rio de Janeiro, em campanha. Parou num boteco de beira de estrada e pediu carne, no almoço com sua equipe. A conta de R$ 450 o escandalizou:
– Que conta cara, amigo! Carne é coisa rara por aqui?
– Carne, não – respondeu o dono do boteco – mas deputado, com certeza…

Assuntos desta notícia

Join the Conversation