Política nacional 17/06/2010

“Greve é guerra, não é férias”.

Presidente Lula criticando grevistas que pedem o pagamento dos dias parados.

Correios: dois diretores devem ser demitidos
O presidente dos Correios, Carlos Henrique Custodio, pode ser poupado, a pedido do ministro Jose Artur Filardi (Comunicações) e do ex-ministro Helio Costa, mas dois diretores da estatal devem ser demitidos: Marco Antônio de Oliveira (Operações) e Pedro Magalhães (Recursos Humanos). Em conversas reservadas, Custodio atribui a eles a avalanche de críticas à deterioração dos serviços postais.

Guia genial
Dunga tem mais em comum com a Coreia do Norte do que supõe a vã filosofia futebolística: criou a primeira Seleção em “regime fechado”.
 
Voluntários da pátria
Proibidos de viajar, os norte-coreanos foram substituídos por atores chineses, contratados para virar torcida do time de Kim Jong-il.

Goleada
É justo: além dos 7,7% aos aposentados, a Copa de bondades de Lula incluiu também 33% para não-concursados da Câmara dos Deputados.

Inutilidade
O DEM tenta emparedar o candidato José Serra para emplacar o vice. Perda de tempo. O candidato quer um tucano que acrescente votos.

Lula pede para Gim…
O presidente Lula pediu ao senador Gim Argello, líder do PTB no Senado, para ficar de fora da disputa eleitoral, assegurando com isso que o único palanque pró-Dilma Rousseff no Distrito Federal seja liderado pelo candidato do PT a governador, Agnelo Queiroz. Argello vem sendo estimulado a disputar o governo do DF para assegurar um segundo palanque para Dilma, mas Lula acha isso desnecessário.

Noves fora…
Deputados do PMDB do Rio liderados por Nelson Bornier comunicaram a Sérgio Cabral que não têm como votar em Dilma. Vão de José Serra.

Faltam euros
Há uma semana faltam euros no setor de câmbio de vá-rias agências do Banco do Brasil em Brasília. Lula viaja tanto que zerou o estoque?

Esses americanos…
…que trouxas: o aloprado ex-presidente dos EUA Richard Nixon teve que renunciar porque seus arapongas espionaram o Partido Democrata

Ferimento de Guerra
O presidente do PSDB, senador Sergio Guerra (PE), passa bem após esbarrar numa corrente, cair e ferir a testa, em Recife, enquanto caminhava e falava ao telefone, certamente à procura do vice de Serra.

Caça e caçador
O que não se faz por um negócio bilionário: o encontro de Dilma Rousseff não constava da agenda do presidente da França, Nicolas Sarkozy. Foi uma “rapidinha”, digamos, para agradar o “amigo” Lula.

Só o governo não sabe
O juiz Alex Nunes Figueredo, de Cárceres (MT), declarou que “se acabar o tráfico de pasta base de cocaína da Bolívia, o município quebra”. Passa por ali 80% da cocaína consumida no Brasil.

Águas passadas
O desastre ambiental nos EUA pode inviabilizar o acordo de exploração britânica BP e da americana Devon com a Petrobras. Um porta-voz da Devon admitiu ao jornal britânico The Times uma possível anulação.

Apontando para o pé
O PT mineiro deu o troco à direção nacional. Decidiu que não fará coligação para deputado com o PMDB. Apenas apoiará Hélio Costa ao governo. Mesmo sob o risco de atirar no próprio pé.

Sem compromisso
A direção nacional do PMDB trabalha com a certeza de que Joaquim Roriz, ex-governador do DF, promete desistir e apoiar o atual ocupante do cargo, Rogério Rosso, caso ele viabilize a candidatura à reeleição. Mas Roriz nega e diz que não fala com Rosso desde a posse dele.

Infecto
Em vez de seguranças da empresa do aloprado Freud Godoy, os deputados da CPI da Bancoop descobriram ratos num “esqueleto” de prédio da Cooperativa petista, em São Paulo. Faz todo o sentido.

Esses franceses…
Estrela do governo francês, a ministra dos Esportes, Rama Yade, está de bola murcha: após pedir “decência em tempos de crise”, hospedou-se em hotel 5 estrelas mais caro que o da Seleção francesa na Copa.

Pensando bem…
…é o Brasil que produz bomba, não a Coreia do Norte.

S de Sandoval

Criticado aplicar a letra S nas obras públicas que inaugurava, o então prefeito de Maceió no início dos anos 1960, Sandoval Caju, desmentia isso categoricamente. E, didático, explicava:
– O “S” nos bancos de praça é inicial de “Sente-se”; nas calçadas, significa “Siga” e, nos mictórios, “Sirva-se”…

 

 

 

 

 

 

 

 

Assuntos desta notícia

Join the Conversation