Política nacional 27/06/2010

“Respeitar acordos e aliados é primordial na política”.

Deputado Ronaldo Caiado (DEM-GO) insatisfeito com Álvaro Dias como vice de Serra.

Aumento salarial no Senado chegará a 100%
Não é de “25%”, como foi divulgado, mas de “no mínimo 40% e no máximo 100%”, o aumento dos servidores do Senado por meio da “gratificação de desempenho”. É o que prevê o artigo 9º do ato da mesa diretora do Senado. O valor da gratificação incide sobre o salário. Assim, copeiros, operadores de elevador, motoristas etc podem passar a receber entre R$ 19.061,95 mensais, mais que juízes estaduais.

Paraíso
Analista do Senado em final de carreira, com R$ 4,8 mil de salário base, vai a R$ 33,4 mil graças a uma sequência de gratificações.

Nossa conta
Com o reajuste concedido aos 6.630 funcionários, a folha de pagamento sofrerá um impacto de R$ 271 milhões.

Casa mia
Lula, que não quer extraditar o terrorista italiano Cesare Battisti, vai passar a decisão ao sucessor. Se for Dilma, aí é que Battisti não sai.

Feira paraguaia
O Brasil doou três aviões Tucano, antigos, à Força Aérea do Paraguai. Pelo menos, quem vai pagar o transporte é o “companheiro” Lugo.

PB: liminar…
O prefeito de Campina Grande (PB), Veneziano Vital, não quis dançar quadrilha este ano. Ele se segura numa liminar para continuar no cargo até que o Tribunal Regional Eleitoral paraibano confirme a cassação de seu mandato, já decidida em primeira instância desde abril. Se o TRE confirmar a cassação, ele cai na malha da nova Lei da Ficha Limpa, dança do cargo imediatamente e ficará inelegível por oito anos.

Tá feia a coisa
O próprio desembargador Manoel Monteiro, que concedeu a liminar ao prefeito de Campina Grande, acha robustas as provas contra ele.

Bocas malditas
Depois do “Abre a boca, Dilma”, para contrapor o sucesso do “Cala a boca, Galvão”, a coluna propõe o “Fala, Dunga!”, na internet.

Palanque
Mais um problema para José Serra: em Rondônia, o governador João Cahulla, apesar de filiado ao PPS, decidiu apoiar Dilma Rousseff.

Agonia na ECT
Chefe de gabinete de Lula, Gilberto Carvalho está entre os que cobram do ministro Artur Filardi (Comunicações) melhoria nos Correios, cuja decadência é atestada pelos serviços ruins e pelos próprios servidores.

O coronel
Agora inimigo dos “irmãos Gomes”, ou sejam, o governador Cid e o deputado Ciro, o coronel Tasso Jereissati (PSDB-CE) terá de subir no altar com os dois, na próxima sexta (2). É que, antes da briga, Tasso e Cid aceitaram ser os padrinhos de casamento de Lívia, filho de Ciro.

Domingão tucano
Achando que a campanha desandou, José Serra e o presidente do PSDB, Sérgio Guerra, com FHC no Skype, farão uma última tentativa de persuadir Aécio Neves a ser vice. Será perda de tempo e ainda farão outra trapalhada, deixando mal Álvaro Dias, o vice já convidado.

Olho no futuro
O governador do DF, Rogério Rosso, é candidatíssimo a um cargo de segundo escalão em eventual governo Dilma. Mas já sabe que terá de se entender com o presidente do PMDB-DF, deputado Tadeu Filippelli.

Portas fechadas após…
O líder do PDT na Câmara deputado Dagoberto Nogueira (MS), quer disputar o Senado, mas deve ser barrado pela Lei Ficha Limpa: foi duas vezes condenado por improbidade no Tribunal de Justiça do MS.

…duas condenações
Ex-secretário de Segurança de Zeca do PT, Dagoberto Nogueira foi sentenciado por “privatizar” o Detran-MS e por tirar proveito eleitoral de cartilhas sobre lei seca. Terá que devolver de R$ 1,1 milhão ao Estado.

UnB, 107
Já que decidirão na quarta a intervenção no DF, os ministros do STF poderiam aproveitar o embalo e intervir na esculhambação em que se transformou a UnB, há 107 dias em greve. O reitor, “Zé do MST”, aos poucos perde a legitimidade e o respeito de professores e funcionários.

A céu aberto
Em Lucas Rio Verde (MT), onde a colheita de grãos da safra de começou há dois meses, produtores estão preocupados: com os silos da região lotados, a colheita é armazenada a ceu aberto.

Par de meias
A candidata Dilma ameaça ir à final da Copa na África do Sul, na cola do pé-frio-chefe Lula. Avisou que ia ao Nordeste, e o dilúvio desabou.

PODER SEM PUDOR

Um menino plural

Em visita a Teófilo Otoni (MG), a velha raposa política José Maria Alkimin encontrou um cabo eleitoral:
– Como vai? E a diletíssima esposa, as crianças?
– Tudo bem, deputado. Mas, por enquanto, só temos um menino…
– E eu não sei que é um filho só? – Alkimin não perdeu o rebolado – É um menino, certo, mas que vale por muitos… Então, como vão os meninos?

Assuntos desta notícia

Join the Conversation