Deus não precisa de santos

                               

Quando me tornei católico, pensava como outros cristãos: Deus Todo-Poderoso não precisa dos santos. E resolvi estudar a Bíblia para assegurar-me. Já em Gênesis achei algo interessante: o anjo do Senhor disse a Agar: volta para a tua senhora e humilha-te diante dela. Vais dar à luz um filho: dar-te-ás o nome de Ismael, porque o Senhor te ouviu na tua aflição (Gn 16, 7-11). Pela tarde chegaram os dois anjos a Sodoma. Lot, ao vê-los, foi-lhes ao encontro (Gn 19,1). Jacó encontrou uns anjos de Deus e exclamou: “É aqui o acampamento de Deus!” Por isso deu àquele lugar o nome de Maanaim (Gn 32,1-2).

E Deus, que não precisa de anjos (aggelo em grego, que significa mensageiro), nem de homens para conduzir seu povo, continua: Moisés, chegou até a montanha de Deus, Horeb. O anjo do Senhor apareceu-lhe numa chama do meio a uma sarça e disse: “Eu vi a aflição de meu povo que está no Egito, e ouvi os seus clamores. Vai, eu te envio ao faraó para livrar meu povo” (Ex 3,1-10). O anjo do Senhor subiu de Gálgala a Boquim e disse: vós não obedecestes à minha voz. Por que fizestes isso? E o povo pôs-se a chorar (Jz 2, 1-4).

E o Deus que tudo pode e não precisa de nenhum intermediário, continua a surpreender: um santo anjo do Senhor, Rafael, foi enviado para curar Tobit e Sara, cujas preces tinham sido dirigidas ao Senhor (Tob 3,25). Davi viu o anjo do Senhor que estava entre o céu e a terra, com uma espada desembainhada em sua mão, dirigida contra Jerusalém (1Cron 21,16). O anjo do Senhor apareceu no campo dos assírios e feriu cento e oitenta e cinco mil homens. Senaquerib, rei da Assíria, retomou e ficou em Nínive (Is 37, 35-38).

E o mais incrível, Malaquias (do hebreu “meu mensageiro”, não é nome de pessoa, não se conhece o autor) anuncia a vinda de João batista e do próprio Jesus, o Deus feito homem: vou mandar o meu mensageiro para preparar o meu caminho e imediatamente virá ao seu templo o Senhor que buscais, o anjo da aliança que desejais. Quem estará seguro no dia de sua vinda? Quem poderá resistir quando ele aparecer (Ml 3, 1-2)? Este anúncio foi feito mais de 400 anos antes do nascimento de Cristo.

Por fim, Deus, apesar de não precisar, proveu sua palavra inspirada, não ditada, escrita por mãos de homens com seus estilos próprios, palavra que compôs o Velho Testamento, escrito em hebraico e grego. E foi a versão grega a usada pelos apóstolos (como atestam 300 das 350 citações no Novo testamento). Se a sua Bíblia só tem 66 livros, não é a grega, aliás, meia-meia sugere algo mal. E não custa lembrar que Jesus, que também não precisava, escolheu doze que enviou (apostolai em grego) e, ainda, chamou Paulo que, apesar de desnecessário também, foi o grande mensageiro (aggelo, anjo) da Nova Mensagem (Eu Aggelion). Deus não precisa, mas opta por chamar homens comuns à santidade.

*Mario Eugenio Saturno, de Bariloche – Argentina, é Tecnologista Sênior do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), professor universitário e congregado mariano. ([email protected])

O estudo, denominado “Finding the Frontier of Hospital Management” foi publicado no Journal of Healthcare Management. Um artigo para ser estudado e aprendido por aqueles que tem sob sua responsabilidade um hospital.

 

Assuntos desta notícia


Join the Conversation