Acre é único Estado da região Norte que ajuda na implantação de Escola Técnica em Saúde no Haiti

O Acre foi contemplado como o único Estado da região Norte a ajudar na reestruturação do Sistema de Saúde do Haiti, país que recentemente foi vítima de uma fatalidade que lhe acarretou perdas humanas e financeiras. A ajuda se dará por meio da Escola Técnica em Saúde Maria Moreira da Rocha, Unidade Descentralizada do Instituto Dom Moacyr, que contribuirá na implantação de uma Escola Técnica em Saúde no país.

Segundo a Coordenadora Geral da Escola Anna Lúcia Abreu, que hoje encontra-se no Haiti, não só a Escola, mas o Acre foi reconhecido pelo bom trabalho que vem desempenhando na área de Saúde. “Dentre as ações que iremos desenvolver está a formação de profissionais da área de saúde e o atendimento das necessidades que o país precisa. Será criada uma Escola Técnica nos moldes das que estão em funcionamento no Brasil”, esclarece.

Durante dez dias a comitiva brasileira juntamente com representantes de Cuba estará no Haiti. Dentre as demandas está a construção de dez Unidades de Referência de Atendimento Ambulatorial (UPA), centro cirúrgico, alojamentos, centro de reabilitação e salas de aula.

“A proposta é desenvolver o trabalho num período que irá de 18 a 24 meses. O enfoque é a formação de técnicos de saúde em todo o país”, revela Anna Abreu. Recentemente o governo do Haiti enviou ao Brasil uma equipe para conhecer o sistema de saúde brasileiro que, segundo o governo haitiano, tem experiência na integração ensino e serviço.

Para contribuir com a ação, foram escolhidas algumas instituições em todo o país, dentre elas, as Escolas Técnicas em Saúde das Regiões Norte e Nordeste (Acre e Alagoas), as Universidades Unicamp e USP de Ribeirão Preto, um Centro Colaborador (Escola Politécnica Joaquim Venâncio), além de representantes do Departamento de Gestão da Educação na Saúde – Deges e da Organização Panamericana de Saúde – Opas.

“Esta ajuda humanitária irá proporcionar um momento de muito trabalho e de muito crescimento para a Escola Técnica Maria Moreira da Rocha, pois vai ser elaborado um projeto que trará a possibilidade de trabalho em sistema de intercâmbio e que acrescentará uma visão diferenciada sobre sistemas de saúde”, assegura a coordenadora.

Um dos motivos que levou o Acre a ser escolhido foi o bom desempenho do trabalho realizado na formação do Profae e na formação do Agente Comunitário de Saúde – ACS. (Agência Acre)

 

Assuntos desta notícia

Join the Conversation