Conciliação com motoristas entra no 3º dia e ‘trégua’ segue intacta

A conciliação entre os motoristas e representantes das empresas chegou ontem ao seu 3º dia, tendo como pauta principal o reajuste salarial. Até o fechamento desta edição, às 17h, a questão ainda seguia travada, com o Sindcol propondo um reajuste de 6% e os trabalhadores só aceitando, no mínimo, 12%. Estimava-se que uma solução satisfatória fosse alcançada ontem, mas as duas partes ainda se mostravam ‘duras na queda’. 

Nas duas primeiras reu-niões, houve acerto prévio sobre 2 das 4 cláusulas principais: a Cesta Básica e o ticket alimentação para almoço. Na primeira, foi cedido o aumento de 1 Kg de leite em pó (trabalhadores pe-diam mais 7 itens) na cesta. Na segunda, o ticket do café-da-manhã subiu de R$ 18 para R$ 32, com janta para os que estão de serviço depois das 21h (a categoria teve almoço e pedido de aumento para R$ 43 negado).

Conforme José Afonso, vice-presidente do Sinttpac, os dois pontos ainda não foram tão satisfatórios para os trabalhadores, mas os acertos foram firmados para se fazer exigências maiores nos outros 2 pontos de discussão. Sobre o reajuste, Afonso conta que é preciso que as empresas comecem a aproximar mais o valor oferecido, já que ainda está na metade do que é pedido. Quanto a intra-jornada, ele explica que é preciso que as empresas assumam o compromisso de regularizar a forma na qual este intervalo será realizado.

“Por ser uma questão jurídica, temos de firmar esta convenção coletiva e levá-la para a aprovação no MPT. Eles querem apoiar a regularização só quando vir o aval da Justiça. Mas se apenas nós fizermos as regras, será muito difícil a Justiça aprovar alguma coisa, por entender que não se trata de um pacto das duas partes. Enquanto este ponto e o do reajuste não é resolvido, os trabalhadores estão ficando apreensivos”, comenta Afonso. 

Conforme o intermediador Marcio Batista, secretário de Articulação Política, o maior propósito do debate é resolver a questão de forma satisfatória entre o dois lados. Sobre o reajuste, a meta era resolvê-lo na conciliação de ontem (que poderia ser última mediada pela prefeitura). Quanto a intra-jornada, o secretário afirmou que o TAC entre Sindcol e MPT/AC será respeitado e uma nova reunião deve ser marcada no MPT/AC, na quarta (16).

 

Assuntos desta notícia

Join the Conversation