Depois de bimestre de alta, Acre tem deflação na cesta básica

O mês de maio foi o primeiro depois de dois meses seguidos de alta a registrar deflação na cesta básica alimentar para os acreanos. Nas duas cidades avaliadas – Rio Branco e Cruzeiro do Sul – a queda dos custos com alimentação ante abril foi de 4,87% e 3,47%, respectivamente. É o que mostra a última pesquisa do Departamento de Estudos e Pesquisas Aplicadas à Gestão da Secretaria de Planejamento (Seplan).

Enquanto que em abril os rio-branquenses pagaram R$ 175,99 nos 14 itens da cesta básica alimentar, mês passado esse mesmo gasto foi de R$ 167,52.  Já em Cruzeiro do Sul a diferença entre os dois meses foi de pouco mais de R$ 7; saindo de R$ 212,90 em abril para R$ 205,50 em maio. Vale ressaltar que este foi o menor valor registrado em 2010 para o Juruá.

O tomate foi o item a liderar a redução. Na Capital a variação foi de -20,44%, e em Cruzeiro de Sul de -15,06%. No mercado de Rio Branco a banana (-7,32%), o óleo de soja (-4,51%), o açúcar (-3,83%) e o arroz (-2,96%) também puxaram para baixo os índices. Na contramão da curva de queda, seis itens apresentaram alta. Os destaques ficam para a farinha de mandioca (7,63%) e o feijão (3,82%).

No acumulado de 12 meses a cesta básica alimentar em Rio Branco apresenta uma variação positiva de 13,40%. No mesmo período, Cruzeiro do Sul teve queda de 3,35%. Com a abertura da rodovia BR-364 até o Vale do Juruá, a tendência é que os custos com alimentação naquela região do Estado continuem a cair. Já para Rio Branco espera-se o mesmo comportamento, já que se está na safra dos principais alimentos.

 

Assuntos desta notícia

Join the Conversation