Granja vai movimentar cadeia produtiva e produzir 2,5 milhões de ovos por ano

Com um plantel de 80 mil aves e a meta de produzir 2,5 milhões de ovos por ano, atendendo 42% do mercado acreano, a Granja Carijó se prepara para iniciar as atividades em setembro. As obras do em-preendimento, avaliado em R$ 3,5 milhões, já começaram na BR-317, sentido Boca do Acre, numa Zona Especial de Desenvolvimento (ZED).
Granja
A granja faz parte de um grupo de empreendimentos agropecuários importantes para a economia do Estado por movimentarem toda a cadeia produtiva onde estão inseridos, beneficiando desde o produtor familiar ao consumidor acreano. Além da criação de aves, a produção de leite longa vida e o frigorífico de ovinos, que também estão em implantação, serão responsáveis por gerar empregos diretos e indiretos, na cidade e no campo.

Baseado na média brasileira de consumo de ovos por habitante (131), o Acre consumiria, com base numa população de 680 mil habitantes, aproximadamente 89 milhões de ovos por ano. “Vamos trabalhar para incentivar o consumo de ovos e desmistificar algumas ideias erradas, como a de que o ovo aumenta o nível de colesterol. Este é o alimento mais completo que existe depois do leite materno”, ressalta o responsável técnico pela granja, Diogo Luiz Figueiredo.

O empreendimento terá uma área total construída de 8.694 m2 e a estimativa é de gerar 27 empregos diretos e 500 indiretos somente na produção do milho. O grão, aliás, foi um grande incentivador do negócio. “Esta é uma região produtora de milho, que precisava viajar 800 quilômetros até Cruzeiro do Sul ou 240 até Brasiléia para ser aproveitado como ração. Resolvemos expandir os negócios para a Capital de olho na produção de milho e com a ajuda do Governo do Estado, que nos encorajou e agora nos dá incentivo para tirar a obra do papel, vamos gerar emprego, renda e atender ao mercado consumidor acreano, para que não haja tanta necessidade de importar ovos”, explica o proprietário do empreendimento, Luiz Helosman. A granja terá uma fábrica de ração para alimentar o plantel e os pintinhos na fase de cria e engorda.

Além de consumir e incentivar a produção de milho na região, a Granja Carijó também vai contribuir com o plantio de hortaliças, fornecendo a compostagem, material rico em nitrogênio que pode ser utilizado na produção orgânica de hortaliças.

Produtores de milho serão beneficiados
A Granja Carijó vai consumir 120 mil sacos de milho por ano, aproximadamente 6 mil toneladas por mês. Com a mecanização agrícola e o incentivo à produção familiar oferecido pelo Governo do Estado, além da garantia do mercado consumidor, mais produtores se sentirão motivados a cultivar o milho, que pode ser consorciado com outras leguminosas, oferecendo áreas sempre prontas para o plantio.

“É dessa forma que um empreendimento como este movimenta toda a cadeia produtiva. O pequeno produtor vai vender o milho para a granja, que será transformado em ração para alimentar as aves. Serão gerados empregos na granja, no campo, e o dinheiro destas rendas vai circular na região”, explicou o secretário de Extrativismo e Produção Familiar, Nilton Cosson. (Agência Acre)

Assuntos desta notícia

Join the Conversation