MPF/AC denuncia pecuarista por crime ambiental em Reserva Extrativista

aera_desmatada

Floresta foi destruída para formação de pasto

O Ministério Público Federal no Acre (MPF/AC) denunciou à Justiça Federal o pecuarista Raimundo Alves de Oliveira pela prática de crime ambiental em uma área equivalente a 40 campos de futebol dentro da Reserva Extrativista do Alto Juruá.

Um laudo da Polícia Federal constatou que o pecuarista extraiu ilegalmente mata nativa, realizou queimadas e substitiu a vegetação original por pasto para criação de bois.

Segundo o Ibama e a Polícia Federal, o pecuarista vem destruindo a vegetação da reserva continuamente desde 2003, e a presença de rebanho bovino na área impede a regeneração florestal.

Diante das provas documentais, dentre as quais fotos registrando a presença de bois na área devastada, o MPF pediu a condenação do pecuarista nas sanções previstas na Lei dos Crimes Ambientais (Lei 9.605/98), com os agravantes de seu Art. 40, por ter sido cometido dentro de Unidade de Conservação Sutentável. (Assessoria MPF/AC)

Assuntos desta notícia

Join the Conversation