Presidiária quer voltar para o presídio e ameaça assassinar alguém se for preciso

A presidiária em liberdade condicional Queliane Souza Lopes, 21 anos, foi condenada a um ano e 4 meses de prisão pela prática de crime de furto.
A jovem cumpriu 12 meses de prisão e na última quarta-feira, 23, foi beneficiada com a progressão de pena, ficando em liberdade condicional em que deveria prestar 8 meses de serviço comunitário à sociedade e após esse período não ficará devendo mais nada a Justiça.

Na tarde de quarta-feira, a detenta foi informada que os portões estavam abertos para ela sair em liberdade condicional.

Na manhã de ontem, 24, Queliane Lopes, foi a Delegacia da 1ª Regional e surpreendentemente pediu aos agentes que a levassem para o presídio, alegando que não queria ficar em liberdade, desejava retornar.

Informada que o pedido dela não poderia ser atendido pela Polícia Civil, a jovem afirmou que se tivesse que matar alguém para retornar ao presídio, ela mataria.

“Não trabalho de graça nem para minha mãe, imagina para o Estado. Quero voltar para o presídio e cumprir minha pena, e caso a polícia não me leve numa boa, eu mato qualquer pessoa que passar na minha frente. Se for preciso mato quantas pessoas for preciso para voltar para o presídio, quero ficar lá, aqui fora não é meu lugar”, afirmou a jovem.

Diante da ameaça, os agentes da Polícia Militar conduziram a jovem à Delegacia de Flagrantes  (Defla). Naquela Delegacia Que-liane permaneceu firme no propósito de retornar para o presídio e novamente ameaçou: “vou ficar esperando aqui, quero voltar ainda hoje, se me soltarem e não me levarem de volta para o presídio, ainda hoje eu mato alguém. Mato a primeira pessoa que cruzar meu caminho”, declarou.

Após uma conversa com os policiais militares Queliane confessou existir dois motivos para ela querer voltar para o presídio. Segundo a presidiária, o principal é que ela não aceita trabalhar de graça para o Estado e o segundo é que durante o período que permaneceu no presídio ela teria conhecido uma mulher com quem mantém uma relação de amor, e não suporta a idéia de ficar longe da mulher amada.

“Para ficar perto de quem amo, sou capaz de cometer qualquer crime, e sei que se eu cometer um homicídio é certeza que eu seja presa”, disse Queliane.

Assuntos desta notícia

Join the Conversation