Binho implanta o ProAcre e lança o Plano de Desenvolvimento em Jordão

O governador Binho Marques implantou sábado, o Programa de Inclusão Social e Desenvolvimento Econômico Sustentável do Acre (ProAcre) na comunidade Massapê, na Reserva Extrativista do Alto Ta-rauacá, no município de Jordão. Na mesma cerimônia foram firmados e reafirmados convê-nios e ações que somam cerca de R$ 5milhões de investimentos em Saúde, Educação e produção rural na região. Massapê foi instituída Comunidade-Polo, que serve de referência para comunidades menores como  as dos igarapés José de Melo, Mato Grosso e vilas como Duas Nações, Maranhão e Xapuri, as quais são tecnicamente  denominadas de Comunidade de Atendimento Universal (CAU) e Comunidade de Atendimento Prioritário (CAP).
ProAcre-binho-08
“Nós estamos aqui porque este programa vai acontecer para sempre. Não vai parar mais. Quem está chegando não é o governador, mas o governo”, disse Binho Marques.  O ato marcou as comemorações ao Dia Mundial do Meio Ambiente.

Em Massapê, que possui distribuição territorial do tipo dispersa, vivem 26 famílias (152 pessoas) às margens do Rio Tarauacá um dos dez rios que estão sendo atendidos pelo ProAcre através da ZAP Rio. Estiveram presentes o prefeito de Jordão, Hilário Melo, o presidente da Assembléia Legislativa, Edvaldo Magalhães, e os deputado estadual Moisés Diniz, e os secretários de Estado da Saúde, Osvaldo Leal, e Educação, Maria Corrêa; Extensão Agroflorestal e Produção Familiar, Nilton Cosson;  Eufran Amaral (Meio Ambiente) e Francisco Pianko, assessor especial dos Povos Indígenas,  além de lideranças locais, ve-readores e Seu Pedro Alves Correia,  o mais antigo morador de Massapê, um ex-seringal que hoje começa na foz do Igarapé Caipora e termina no Igarapé José de Melo. O governador desembarcou no na localidade Maranhão, onde foi recebido pelo presidente da Resex, Orlei José Augusto de Souza.

Pelo menos 200 pessoas moradoras das comunidades da reserva participaram do evento que reuniu ainda lideranças políticas e comunitárias da região. O ProAcre é o eixo dos investimentos que o Governo busca para fazer do Acre o melhor lugar para se viver na Amazônia levando serviços básicos e estruturantes às Zonas de Atendimento Prioritário (ZAPs) para as comunidades mais distantes. O Rio Tarauacá é a principal via de acesso da comunidade com as cidades maiores, especialmente a sede, Jordão, distante cerca de 30 quilômetros ou 1h30 em canoa movida a motor rabeta.

O ProAcre atua em várias frentes, principalmente em Saúde, Educação e produção. As atividades do projeto estão organizadas de acordo com o tipo de ação: provisão de serviços básicos, segurança alimentar e ampliação e modernização dos serviços para o desenvolvimento socioeconômico sustentável e fortalecimento institucional. O ProAcre tem previsão de duração de seis anos com investimentos de US$ 150 milhões, sendo que US$ 120 milhões são recursos do Banco Mundial e US$ 30 milhões são a contrapartida do Governo do Estado. Ao seu final, será continuado pelas prefeituras com recursos dos programas federais. Elaborado com base nos estudos e recomendações do Zoneamento Ecológico-Econômico do Estado, o ProAcre já começou a melhorar a qualidade de vida das comunidades, especialmente aquelas localizadas em zonas com maior urgência de atenção quanto ao acesso a serviços básicos e ordenamento ou adequação para o desenvolvimento sustentável.

“Agora, com esses investimentos, vamos poder trabalhar pelo desenvolvimento que todos esperam”, disse o prefeito de Jordão, Hilário Melo. (Agência Acre)

 

Assuntos desta notícia

Join the Conversation