Gladson diz que não há guerra na FPA e cobra novas eleições em Sena

O surpreendente desempenho parlamentar no Congresso Nacional, o poder de articulação, a simplicidade e carisma junto à população acreana fizeram do deputado federal Gladson Cameli (PP) um dos maiores aliados da sociedade, do Governo do Estado e das 22 prefeituras do Acre desde quando foi eleito com 18.886 votos nas eleições de 2006.
Gladson-entrevista
A avaliação é feita pelas maiores lideranças da Frente Popular (FPA), pela opinião pública e pelo próprio deputado, que destaca como um dos fundamentos do sucesso da agremiação e de seus representantes no Acre e na capital federal a unidade e o compromisso  de todos que compõem o ideal de trabalhar pelo progresso acreano.

Numa versão contrária a polêmicas, Cameli reafirma sua permanência e do seu partido, o PP, na Frente Popular para as eleições 2010, fala sobre o trabalho realizado em Brasília juntamente com a bancada federal, frisa o governo de Binho Marques como uma das melhores fases para o Acre, fala sobre a relação com o primo e vice-governador, César Messias e da expectativa de ver o senador Tião Viana eleito governador do Estado.

Em sua fala, ele esclarece as especulações em torno de sua relação com lideranças da FPA como a deputada Perpétua Almeida e Edvaldo Magalhães, ambos do PCdoB, e cobra do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) uma definição urgente no processo que pede a cassação do prefeito cassado Nílson Areal (PR), tornando possível reordenar a vida da sociedade senamadureirense e poupar de desgastes o prefeito em exercício do município, Wanderley Zaire, seu aliado no Partido Progressista. Leia a seguir:

A GAZETA – O senhor se tornou uma liderança jovem bastante popular e tem feito um mandato produtivo, apesar de ser um estreante no Congresso Nacional. A quê o senhor atribui esse desempenho?

Gladson Cameli – Desde criança sou comunicativo e sempre estive envolvido em projetos comunitários. Por isso, a política sempre esteve na minha vida e da minha família, ajudando e apoiando todos a quem tenho a oportunidade de conhecer. Sobre o bom desempenho do primeiro mandato, além da minha determinação pessoal, conto com apoio da população, da nossa bancada, de amigos e com o fato de estar inserido num projeto que não é individual, mas coletivo, através da Frente Popular (FPA), que tem mudado a cara e melhorado a vida da população do nosso Estado nos últimos 11 anos.

A GAZETA – Esta semana, houve uma certa polêmica entre o senhor e a deputada federal Perpétua Almeida (PCdoB) sobre o município de Sena Madureira. O que houve de fato?

Gladson Cameli – Na realidade, a situação do município de Sena Madureira é muito mais delicada do que imaginamos. Eu, que estou lá constantemente, até porque o prefeito em exercício Wanderley Zaire pertence ao PP, meu partido, sei das dificuldades que a prefeitura e a sociedade tem enfrentado por conta do impasse jurídico sobre a cassação do ex-prefeito Nílson Areal (PR). Sei que a deputada Perpétua foi à Sena para apoiar a população, assim como eu tenho feito. E o que queremos de fato é uma solução do TSE para essa questão. Se haverá a confirmação da cassação de Areal? Se haverá novas eleições? Quando será? De qualquer forma, nos uniremos ainda mais em Brasília para cobrar uma definição para este assunto e por um fim a esse impasse jurídico.

A GAZETA – O senhor declarou na imprensa esta semana que o governador Binho Marques não tem dado prioridade ao município.

Gladson Cameli – Sei que o governador Binho Marques tem feito um trabalho para atender o Acre integralmente. Mesmo com algumas divergências minhas a respeito de Sena Madureira, não posso negar que o município nunca deixou de ser prioridade na agenda do governo. Mas, questionamentos e cobranças são algumas das atribuições de um deputado, e o que tenho feito é solicitado apoio do Governo para o município, algo que é natural na minha posição, afinal fui eleito para representar a população de todo Estado. E o governador Binho como democrata que é certamente está aberto para resolver os problemas colocados em pauta não só por mim, mas por toda bancada acreana.

A GAZETA – Há algum problema entre o senhor, a deputada Perpétua Almeida e o deputado Edvaldo Magalhães após essa polêmica?

Gladson Cameli – Primeiro que não há polêmica. A Perpétua é uma grande amiga e companheira em Brasília e no Acre. O Edvaldo, da mesma forma. Estamos todos unidos dentro de uma Frente que busca o melhor para o Acre e seu povo. Discussões, divergências, opiniões são normais e devem ser respeitadas. Não há guerra entre nós. O PP e o PCdoB são dois partidos que sempre lutaram pela unidade da Frente Popular e não vamos deixar esse projeto no meio do caminho. Em breve, estaremos unidos comemorando mais uma vitória da FPA no Acre com Tião Viana governador, César vice, Edvaldo e Jorge Viana senadores.

A GAZETA – Entre os vários trabalhos que o senhor realizou como deputado federal, qual o senhor avalia como o mais importante?

Gladson Cameli – Todos os projetos, os milhões de emendas que empenhei para todos os municípios do Acre, as causas que defendi foram e são importantes para a população do nosso Estado. Mas, a briga pela melhoria da energia elétrica que chega ao consumidor acreano e a chegada de novas empresas aéreas pa-ra o Estado são algumas das ações mais comentadas e as quais eu mais recebo agradecimentos nas ruas.

A GAZETA – Quais os seus projetos para o futuro já que se fala muito em vôos mais altos como uma possível disputa para o Governo do Estado.

Gladson Cameli – Sou pré-candidato à reeleição de deputado federal. E, como disse o rei Salomão: há tempo para tudo debaixo do céu. Eu prefiro seguir essa afirmativa bíblica.

Assuntos desta notícia

Join the Conversation