Política local 02/07/2010

“A oposição vive um conflito existencial: uma hora quer a floresta em pé e na outra, arrasada”.

Deputado Thaumaturgo Lima (PT).

Com cautela
A gestão Binho está entre os governantes que mais ajudou o futebol profissional. É de se aplaudir a nova ajuda substancial ao Rio Branco Futebol Clube para tentar chegar à segunda divisão. Mas, há também de se ver com cautela, pois se a diretoria investir em cabeças de bagre como nas duas últimas temporadas serão mais recursos públicos no ralo.

Começou mal
E a diretoria do Rio Branco começou mal, contratando o Pugliese para técnico, vindo do remoto Luverdense, que ficou na quarta colocação no medíocre campeonato de Mato Grosso do Sul.

Alto nível
Foi em alto nível ontem na Aleac a discussão entre deputados da oposição e governistas, acerca desse baú de bondade do governo acrea-no dado ao apresentador brega, o Ratinho.

Cabe questionar
Cabe sim o questionamento. Se um colono  brocar uma capoeira para plantar é multado. Como o Ratinho recebeu sinal verde para explorar 200 mil hectares de mata virgem, no Acre?

Versão oficial
A versão oficial veio do deputado Moisés Diniz (PCdoB) de que se trata de um plano de manejo florestal, cuja licença seguiu os trâmites legais respeitando as comunidades índias.

Gerar empregos
Na sua versão, Diniz anunciou que isso vai gerar três fábricas de laminados, compensados e tacos, a serem criadas em Feijó, Tarauacá e Cruzeiro do Sul para beneficiar a madeira tirada.

Comunidades protegidas
E quanto as comunidades indígenas não haverá impacto ambiental, já que o caridoso Ratinho doou 20 mil hectares no limite das terras Yawanawá e Kaxinawá para evitar problemas.

Razão de ser
Os questionamentos dos deputados N. Lima (DEM), Idalina Onofre (PPS) e Antonia Sales (PMDB) têm razão de ser, pela celeridade com que essa licença ambiental foi concedida.

 Mimos televisivos
Outra questão que cabe também discussão é que após a concessão da licença rápida e estranha, o apresentador Ratinho passou a fazer elo-gios fartos ao governo no seu programa.

Virou politicagem
O debate ia bem, mas caiu para baixaria quando foi levantada sem qualquer evidência, prova, apenas para macular um adversário que Jorge Viana é sócio do Ratinho no empreendimento.

O mínimo a se exigir
Numa acusação deste porte o mínimo a se exigir a quem faz é que apresente prova dessa so-ciedade, sob pena de cair no descrédito, desvirtuando um debate que ia muito bem.

Marcada de perto
A deputada Antonia Sales (PMDB) reclamava ontem dos “dedos duros” do PT contra sua candidatura, tendo lhe denun-ciando duas vezes ao TRE,  sendo multada.

Não impede
Mas diz que isso não vai impedir que saia do Juruá com a maior votação para deputada estadual.

Ficando doido
Sobre nota na coluna a presidente do PPS, Idalina Onofre, diz que o candidato Márcio Ribeiro (PSC) está “ficando doido”, pois nunca enviou seu nome ao TRE como filiado ao PPS.

Voltando a perguntar?
Como é que se encontra o “caso Pinté”, em Acrelândia, com todos os indícios de crime político, com o tempo passando e a cúpula da Segurança Pública não se pronunciando?

Bela deputada
A parcela preparada do eleitorado ganharia muito se elegesse a advogada Nazaré Araújo (PT) deputada estadual, afinal, há que se colocar mais vida inteligente na Aleac, no próximo ano.

Maior que a perna
O ex-deputado federal Márcio Bittar (PSDB) quer dar um passo maior que a perna: garante que vai eleger Toinha Vieira (PSDB) e Zenil (PPS), com reduto em Sena Madureira, para a Aleac.

Bateu a conformação
O deputado Gilberto Diniz (PTdoB) dizia ontem não ter mais nenhuma dúvida que a ex-prefeita Toinha Vieira (PSDB) lhe deu uma “rasteira” e será também candidata a deputada estadual.

Voz do Garcia
O ex-deputado Luiz Garcia (PP) fez ontem a seguinte previsão numa roda de jornalistas: “uma das cadeiras de deputado estadual será do empresário Plínio (PMN), de Cruzeiro do Sul.

Baixaria explicita

O comando petista quer o fígado da missionária Antonia Lucia (PSC), que anda pregando nas igrejas evangélicas que não é candidata a deputada federal pelo PT porque lhe exigiram que tirasse o nome “Jesus Cristo” da torre da sua rádio, a “Boas Novas” para colocar o slogan “Governo da Floresta”, querendo passar assim imagem que os candidatos majoritários da FPA são ateus. Mesmo desprovido de verdade, pode acabar pegando entre os evangélicos menos preparados. Agora, Antonia Lucia, cá entre nós, baixaria já não elege mais ninguém, no Acre!

 

Assuntos desta notícia

Join the Conversation