Política local 16/07/2010

“De agora em diante vou cair na campanha em todos os municípios”.

Jorge Viana (PT), candidato ao Senado, ontem à coluna.

 Propaganda enganosa
Leio que a candidata à Aleac, Telma Chaves (PT), jacta-se de ter “liberado” R$ 350 milhões aos prefeitos acreanos. Procon nela: jamais teve esse poder. Quem aloca emendas com recursos às prefeituras são os deputados federais e senadores e quem libera são os ministros. Como burocrata da Associação dos Municí-pios do Acre, o máximo que fez foi digitar os processos.

Talismã do PT
A ex-deputada federal Regina Lino foi saudada no evento pelo ex-governador Jorge Viana como um “talismã da campanha”, citando ela trazer sorte quando chega para a campanha.

Quebrando o ciclo
Regina Lino e o ex-vereador Carlos Beirute foram os responsáveis pela aliança do PSDB com o PT, quando Jorge Viana era governador, quebrando no Acre o ciclo de atritos com a oposição.

Oposição confiável
Conversando ontem com Jorge Viana, ele disse ter esperança que a oposição e a FPA possam se unir para ajudar o governo do Tião Viana, citando como bom interlocutor o ex-deputado federal Márcio Bittar (PSDB) que, na sua visão, é quem deve dirigir o PSDB no futuro.

Muito entusiasmado
Jorge se mostrava otimista durante o ato de ontem para a imprensa, entusiasmado e prevendo que com a campanha na rua, a FPA vai ganhar o governo e as duas vagas de senador.

Nunca antes
Pela primeira vez na Aleac houve contestação à concessão de um “Título de Cidadão Acreano”: aconteceu ontem, com a outorga à Laura Okamura, recebendo votos contra da oposição.

Sem mérito
Os deputados N.Lima (DEM) e Idalina Onofre (PPS) justificaram os votos contra, alegando ter Okamura chegado ontem ao Acre e não se conhecer nada dela para ganhar a honraria.

Visto com desconfiança
Caiu como uma bomba na oposição a nomeação da advogada Arnete Guimarães, petista declarada, para juíza temporária do Tribunal Regional Eleitoral do Acre, indicada pela OAB.

Não começou
Como vai se comportar o eleitorado do Juruá para o Senado e Governo só vai dar para ser medido ao final do próximo mês, com a campanha na rua, pesquisa agora é extemporânea.

Protesto antecipado
A coluna previu que a deputada Maria Antonia (PP) e o marido Deda (PP) seriam penalizados por propaganda antecipada: previsão confirmada com a condenação acontecida no TRE/AC.

Operação fronteira
O deputado federal Gladson Cameli (PP) prometeu à FPA cacifar o ex-prefeito de Brasiléia, Aldemir Lopes (PMDB), e tirar sua candidatura a deputado federal para ele apoiar a FPA.

Acordo anunciado
Pelo acordo anunciado, bom para ambos os lados, Aldemir Lopes apoiaria Gladson Cameli (PP) a deputado federal, Jorge Viana e Edvaldo Magalhães ao Senado e Tião Viana ao governo.

Bomba na oposição
A ser verdade que Gladson Cameli tem café no bulé para a operação, será um golpe para a chapa da oposição à Câmara Federal, cada dia com o cobertor mais curto com as debandadas.

Outra versão
A outra versão circulante ontem era que Aldemir Lopes teria fechado com Márcio Bittar, na versão “Operação fronteira II – a Missão”.

Esperar o desfecho
Vou esperar o desfecho para tecer uma série de comentários sobre os dois episódios.

Moeda forte
A empresária Antonia Lucia (PSC) está dando horários na “Rádio Boas Novas” a todos os pastores que passaram a apoiar a sua candidatura a deputada federal.

Entusiasmado e fã
O deputado federal Fernando Melo (PT) caminha para fechar acordo com a ex-diretora do Colégio Acrea-no e candidata à Aleac, professora Rosélia, de quem é fã do seu trabalho.

Ruim das pernas
Junior Betão (PR) não terá a força da última campanha. Dos seus apoiadores, Nílson Areal não é mais prefeito, a deputada Dinha foi fisgada no “Ficha Limpa” e Celso Ribeiro não o apoia mais.

Pequenos detalhes
O deputado Gilberto Diniz (PTdoB) está em conversa adiantada para apoiar o deputado federal Flaviano Melo (PMDB) à reeleição, faltando apenas a definição de pequenos detalhes.

Conta da oposição
Fazer 10 deputados estaduais é a contabilidade dos dirigentes da oposição. Oito é plausível, mas esse número pretendido, só se os candidatos oposicionistas estourarem de votos.

É não conhecer
Me divirto com a previsão de petistas que o prefeito Wagner Sales (PMDB) está “acabado” popularmente. O mesmo raciocínio de que só tinha garganta usavam na campanha municipal.

Não foi das piores
A atual legislatura não foi das piores. Também não foi essa Brastemp. Aconteceram debates interessantes. A oposição, mesmo minoritária deu o tom do que seria discutido nas sessões. A FPA fez valer a sua maioria nas votações dos projetos do governo, aprovando todos, nos debates perdeu para os oposicionistas. Moisés Diniz (PCdoB) e Thaumaturgo Lima (PT) foram os únicos a fazer amiude a defesa do governo. Daqui para frente é só eleição e eleição.

 

Assuntos desta notícia


Join the Conversation