Política local 27/07/2010

“Vou continuar ajudando os candidatos majoritários da FPA ainda com mais vigor”.

Carlos Beirute (PTB), após anunciar a renúncia da suplência de senador.

Poronga política
A coordenadora do projeto educacional “Poronga”, Emily Areal, segundo denúncia, estaria ameaçando os servidores de contratos provisórios a votar no irmão Alan Areal (PSB) para a Aleac, sob pena de demissões. E ainda obrigando que cada servidor consiga cinco votos. As reuniões de planejamento se-riam na escola “Serafim Salgado”, aos sábados, das 8 às 12 horas.

Denunciante sério
Publicamos o e-mail com a denúncia por vir de fonte conhecida, o advogado Edney Muniz.

Sem juízo
A coluna não faz juízo de valor sobre a notícia em pauta que fica a cargo das partes.

Belo gesto
Para não ensejar a exploração política pela oposição por estar com seu registro sendo questionado pelo MPF, o médico Carlos Beirute (PTB) renunciou a segunda suplência do candidato ao Senado, deputado Edvaldo Magalhães (PCdoB), decisão anunciada ontem.

Convite rejeitado
A direção da FPA ainda tentou convencer por todo dia de ontem a ex-governadora Iolanda Lima (PTB) a substituir Carlos Beirute (PTB), mas ela preferiu continuar candidata à Aleac.

Indicação liberada
Por decisão da executiva do PTB o partido abriu mão de indicar um novo nome.

Não é minha praia
Alguns colegas de imprensa ao me verem ontem sentado junto com a executiva do PTB, pensaram que seria eu o novo suplente: figa, mangalô, três vezes, não é a minha praia.

Tiro curto
O ex-governador Jorge Viana (PT), líder das pesquisas para senador, comentava ontem ser esta  uma eleição de tiro curto, com apenas 60 dias de campanha para conquistar os eleitores.

Nada boa
Notícia nada boa para o PT veio ontem do TRE/AC: a candidata a deputada federal Antonia Lucia (PSC), cri-cri dos petistas, está livre: sua candidatura foi liberada por aquele tribunal.

Votos contrários
Foram votos contra a liberação da candidatura as juízas Arnete Guimarães e Denise Bonfim.

Peixes pequenos
Os casos dos chamados “peixes grandes” que caíram na malha do projeto “Ficha Limpa” e foram impugnados pelo MPF, devem entrar em pauta de hoje até a próxima sexta-feira.

Só mandi
Nos julgamentos de ontem só alguns mandis tiveram as candidaturas negadas, entre eles, o professor Wincler Collier, candidato à Aleac, que não prestou contas da sua última campanha.

Sem refresco
Pelos primeiros julgamentos até aqui acontecidos notam-se tendências dos juízes do TRE/AC de serem duros com os que têm pendência impeditiva com a Justiça.

Caras conhecidas
Uma campanha de 60 dias só beneficia os candidatos a cargos majoritários conhecidos em todos os municípios, como o senador Tião Viana (PT) e o ex-governador Jorge Viana (PT).

Não começou
Somente no fim de setembro, quando FPA e Oposição apertarem a campanha, é que se vai ter um panorama mais confiável de como se encontram todas as candidaturas majoritárias.

Casamento esperado
O acontecimento político mais esperado do Vale do Juruá dentro da oposição é como virão casados na chapa os votos da deputada Antonia Sales (PMDB) para as duas vagas de senador.

Muitos burburinhos
Os burburinhos são os mais diversos e com incontáveis versões políticas.

Observação pertinente
Importante figura da FPA comentava ontem, preocupada, a campanha do deputado federal Flaviano Melo (PMDB), pelo “poder de fogo” do Márcio Bittar (PSDB) e Antonia Lucia (PSC).
 
Contabilidade plausível
Na contabilidade da FPA a chapa da oposição não vai passar de dois deputados federais.

Aparecer mais
Flaviano está na minha conta dos “reeleitos”, e isso só não ocorrerá por uma zebra, mas tem que colocar o visual da campanha nas ruas, que ao contrário dos adversários, está tímido.

Aposta na televisão
Os números do candidato ao Senado, João Correia (PMDB), com 11% na pesquisa do Ibope, na avaliação dos seus apoiadores, deve subir quando começar o programa eleitoral na televisão.

Levar pau
Da cabeça de juiz ninguém sabe qual será a sentença, mas o meu faro jornalístico me leva a crer, depois de ouvir figuras do mundo jurídico, que os denunciados pelo MPF na lei “Ficha Limpa” vão ter os registros de suas candidaturas negados pela Justiça Eleitoral e terão que recorrer ao TSE, criando uma indefinição que pode ser fatal na campanha. O aconselhável aos que tiverem as candidaturas vetadas pelo TRE/AC nas sessões desta semana é não recorrer.

Assuntos desta notícia


Join the Conversation