Política nacional 13/07/2010

“É o cúmulo do terror”.

Promotora Luiza Eluf, líder contra violência à mulher, sobre a morte de Eliza Samudio.

Cartões: governo Lula torra R$ 28,4 milhões
Membros do governo Lula gastaram mais de R$ 6 milhões em junho, utilizando cartões corporativos, dos quais R$ 1,3 milhão por conta da assessoria direta de Lula. O total até agora, em 2010, é de R$ 28,4 milhões, mais da metade classificada de “sigilosa”. Só a Presidência da República torrou por R$ 7,6 milhões no primeiro semestre. O recorde da farra com cartões, no governo Lula, é de R$ 76,3 milhões em 2007.

Escalada
Em fevereiro, a conta dos cartões corporativos do governo Lula totalizava R$ 6 milhões, em abril pulou para R$ 11 milhões.

Eu nada devo
A lorota da “dívida histórica” com a África é coisa dos ignorantes que cercam Lula. Se há dívida, o que é discutível, ela é portuguesa.

Jogo sujo
Seleção que mais jogou sujo na Copa do Mundo, a Holanda deveria ser punida com o veto à sua participação na Copa de 2014.

Pergunta submersa
Esse polvo alemão toparia uma “cervejinha” para acertar o próximo presidente do Brasil?

MS: aliados brigam
Em Mato Grosso do Sul, uma guerra na internet, entre aliados do atual governador André Puccinelli (PMDB) e do adversário Zeca do PT, deixou os dois em maus lençóis. Petistas acusaram Puccinelli de fazer crescer o seu patrimônio em 400%, no período de quatro anos. Zeca do PT cutucou e recebeu o troco: seu patrimônio subiu 1.600% em dez anos. Receita Federal e Ministério Público devem estar adorando.

O recordista
Acaba nesta terça o prazo para impugnação de candidatos às eleições. No DF, aguardam-se mais de vinte contra Joaquim Roriz (PSC).

Comício do PT
Lula vai à inauguração do comitê da candidata Dilma Rousseff, no final da tarde desta terça-feira no Setor Comercial Sul, em Brasília.

Na terra de Sarney
O tucano José Serra recebe hoje titulo de cidadão honorário de São Luís (MA) e visita o jornalista Neiva Moreira, que anda adoentado.

Bola no pé
O goleiro Bruno, caso provada sua culpa e for preso, terá emprego garantido na Copa de 2014: como operário. Convênio do Conselho Nacional de Justiça permite contratação de apenas para as obras.

Confuso horário
Autoridades da Ásia ou da Europa falarão com as paredes se Lula fizer campanha para Dilma fora do expediente de 8 às 18h. O presidente faltou à aula de Geografia que explica os fusos horários…

Herança maldita
Com o Brasil condenado na OEA, nós teremos que pagar quase R$ 100 mil de indenização porque o governo não investigou nem puniu a morte de sem-terra em 1998, durante despejo em fazenda no Paraná.

Trabalheira, meu rei
O jingle “Deixa o galego trabalhar”, do petista Jaques Wagner, pegou ao contrário, na Bahia: as bases do PT rejeitam a aliança com Lídice da Mata (PSB) ao Senado e ameaçam trabalhar só para Walter Pinheiro.

Bom de papo
O deputado Waldemir Moka (PMDB-MS) tem sido elogiado na Comissão Mista de Orçamento do Congresso, que aprovou a LDO. Jeitoso, ele resolve impasses no diálogo, acabando velhas brigas.

Política vem aí, corra
Leandro Mazzini lança em agosto “Corra que a política vem aí!” (Ed. Litteris), na Bienal do Livro de São Paulo. Três craques recomendam ainda mais o livro do titular da coluna Informe JB: as charges de Aliedo, o prefácio de Carlos Heitor Cony e a quarta-capa por Murilo Melo Filho.

Mulheres de longe
Dez países pediram que o Irã revogasse o apedrejamento da “adúltera” Sakineh Mohammadi Ashtiani e outras na fila. O amigo Lula se cala e a Anistia Internacional criou uma petição on-line e pede mensagens em português à embaixada do Irã no Brasil ([email protected]).

Ih, sujou
Quatro deputados federais do Ceará – Manoel Salviano (PSDB), Marcelo Teixeira (PR), Zé Gerardo Arruda (PMDB) e Eugênio Rabelo (PP) – têm fichas nada limpas no Tribunal de Contas dos Municípios.

Pensando bem…
…por que os “cumpanhêro” não pedem que o amigo Fidel Castro indenize os presos políticos da ditadura cubana?

PODER SEM PUDOR

Ruim de conversa
O deputado Aldo Rebelo (PCdoB-SP) foi um jornalista competente e é intelectual completo, mas nem sempre se sente à vontade em entrevistas. Ele era ministro de Relações Institucionais do governo Lula quando, interpelado por uma repórter, desconversou:
– Fala ali com o Mercadante…
– Mas, ministro, ele é muito ruim de fala…
Rebelo mentiu:
– Eu sou pior, pode acreditar…

 

Assuntos desta notícia


Join the Conversation