Sem novidade, tabu mantido na derrota do Estrelão fora

O tabu não foi apenas mantido, mas ampliado. Nos últimos anos foi criado um stigma que o Rio Branco FC não consegue vencer fora e, neste sábado, no estádio da Curuzu, em Belém/PA, foi mantido contra o Paysandu da pior forma: com direito a goleada por 6 a 2. No final do jogo bem que a torcida ensaiou um “olé”, porém mais um gol do homem do jogo, Bruno Rangel, fechou a comemoração paraense.
Rio-x-Paysandu
Diferente da equipe que fez os dois treinos, apresentando várias falhas, principalmente de defesa e criação, o Estrelão foi presa fácil para um Papão que iniciou a mil por hora. Bem que o representante acreano encanou no início, marcando com apenas seis minutos, na penalidade sofrida por Marcelo Maciel e convertida por Papel. No entanto com apenas 14 minutos o representante paraense já havia virado, com Fabrício e Bruno Rangel, sempre explorando a tentativa de linha de impedimento, que se converteu em um desastre.

A goleada mesmo só foi construída na etapa final, iniciando aos 12 minutos com Marquinho, ampliada aos 18, novamente Bruno Rangel. Valdir Papel, aproveitando cruzamento de Butti, diminuiu, porém o Estrelão não demonstrou força para chegar ao empate. Pelo contrário, o Papão chegaria mais duas vezes na rede, com Alexandre Carioca e outro de Bruno Rangel.

Se houve falha do goleiro do Estrelão? Se não fossem suas intervenções, apesar de ter feito o primeiro pênalti, a goleada se transformaria em… “goleada histórica”. “Houveram falhas e temos que corrigir durante a semana”, disse o técnico Tarcísio Pugliese.

No próximo domingo o Estrelão recebe o Fortaleza/CE no estádio Arena da Floresta precisando “fazer o dever de casa” para não ver suas chances de classificação comprometidas. O clima, com o resultado, deve ser pesado pela cobrança da torcida.

 

 

 

Assuntos desta notícia


Join the Conversation