Agentes da Semsa recebem capacitação do Pará para combater doença de Chagas

A Capital acreana parecia um lugar livre da doença de Chagas. Porém, tal tranqüilidade foi abalada com a confirmação parcial do inseto transmissor da doença (barbeiro) e do 1º possível caso de portador humano. Atenta a esta realidade, um grupo de 20 agentes de Endemias da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) começaram ontem, às 14h, no auditório da Vigilância Municipal, a receber uma capacitação de combate à doença de Chagas com o biólogo do Instituto Evandro Chagas (Belém/PA), Aldo Valente.

A capacitação durará cinco dias e terá como foco os procedimentos com as melhores formas de o agente endêmico proceder no controle de infestação do mosquito. No caso de Rio Branco, que só teve suspeitas (9 bairros) e 1 confirmação (ainda não conclusiva), o direcionamento a ser dado é aos aspectos de prevenção. Após os cinco dias (1ª fase), o curso na Semsa deve se estender por mais 5 meses (demais fases).

Segundo o secretário Pascal Khalil (Semsa), a capacitação será um processo importante no combate à doença, pois os agentes municipais adquirirão mais técnicas de contenção ao barbeiro e as repassarão tanto para a comunidade em geral, quanto a outros agentes (inclusive, do interior do Estado). Assim, a cidade terá ações de prevenção mais sólidas e, conseqüentemente, menos condições para a instalação/infestação do vetor.

Além do curso de aperfeiçoamento aos agentes de Endemias, a capacitação à doença de Chagas deve se estender, posteriormente, aos profissionais da parte de Atendimento da Semsa (médicos, enfermeiros, etc). “Eles aprenderão, ou mesmo relembrarão, algumas técnicas e procedimentos para tratar, diagnosticar ou identificar (sintomas) os pacientes portadores ou suspeitos da doença. Ainda que o caso que temos confirmado ainda não seja conclusivo, é essencial que toda a nossa equipe saiba como atuar”, afirmou Pascal.

Mais ações contra o barbeiro – De acordo com o secretário Pascal Khalil, o trabalho de prevenção (maior frente de combate) contra a doença de Chagas será feito por meio de diversas atividades em toda cidade, especialmente nos 9 bairros com suspeitas. Entre as ações, destacam-se a conscientizações nas casas, alerta dos sintomas (local da picada na pele inchado e vermelho, febre, anorexia, alterações no fígado e coração), eliminação de focos, estudos com referências geográficas dos bairros suspeitos, capacitação, exame sorológico e passar inseticidas nos locais mais vulneráveis, etc.    

Assuntos desta notícia


Join the Conversation