Após sanção, Acre debate implantação de sua ZPE

Após a sanção do presidente Luiz Inácio Lula da Silva para a criação da ZPE (Zona de Processamento da Exportação) do Acre, agora Governo e a iniciativa privada debatem a implantação do mecanismo de incentivo fiscal. No final do mês o Palácio Rio Branco organiza o Seminário Desafios para a implantação da ZPE, que acontecerá no auditório da Fieac (Federação das Indústrias do Acre).

A ZPE é uma das principais apostas do Governo para alavancar o desenvolvimento econômico do Estado. Sua implantação era defendida inicialmente pelo setor produtivo, que pleiteava junto à bancada federal as negociações junto aos ministérios. A proposta acreana foi entregue ao Ministério do Comércio, Indústria e Comércio Exterior no fim de junho e aprovada por Lula no começo deste mês.

Para, de fato, sair do papel a ZPE precisa passar por várias etapas, entre elas o seminário. “Este encontro acontece com o objetivo de sensibilizar os empresários locais em relação às perspectivas de eles fazerem parte deste novo momento da economia acreana. Vamos apresentar as principais vantagens e desvantagens das Zonas de Processamentos de Exportação”, disse o secretário Gilberto Siqueira (Planejamento).

Até o final do ano, o Governo manterá agenda de discussões com vários setores da sociedade. O objetivo é que o Estado tenha uma ZPE que atenda as características regionais. A principal referência para esse mecanismo é a China. No começo do ano, comitiva de empresários acreanos visitou o país asiá-tico para conhecer de perto seu modelo.

A ZPE é a aposta crucial para atrair tanto investidores brasileiros, quanto estrangeiros. A isenção de impostos é o principal atrativo. O Estado quer que empresas instaladas no Acre tenham como foco os mercados boliviano e peruano. “A dinâmica da economia e as relações comerciais, ao longo do tempo, definirão o perfil da ZPE no Acre”, diz trecho de documento oficial de apresentação.

 

Assuntos desta notícia


Join the Conversation