Bairro João Eduardo II recebe investimentos de R$ 7,2 milhões

O prefeito Raimundo Angelim assinou ontem pela manhã, 28, ordem de serviço para o início das obras de urbanização do bairro João Eduardo II. As intervenções são resultado de convênio firmado entre a prefeitura de Rio Branco e o Ministério das Cidades, no valor de R$ 7,2 milhões.

Os investimentos prevêem a construção de 116 unidades habitacionais, 12 módulos sanitários domiciliares para as famí-lias residentes na área de abrangência do bairro, execução de 3,8 mil metros de pavimentação asfáltico em 18 ruas; construção de 2,9 mil metros de calçadas nos dois lados das vias; 417 metros de redes de drenagem de águas da chuva; 1,8 mil metros de redes de abastecimento de água; 110 ligações domiciliares de água; 2,7 mil metros de rede coletora de esgoto; 469 ligações domiciliares de esgoto e uma Estação de Tratamento de Esgoto (ETE), com quatro tanques sépticos e seis filtros biológicos. Além disso, os recursos garantem a segurança jurídica dos moradores com a disponibilização de títulos de propriedade dos imóveis e também o trabalho social, potencializando as oportunidades dos moradores com cursos e qualificações.

De acordo com prefeito Raimundo Angelim o João Eduardo II é um dos bairros da Capital com mais problemas de infra-estrutura. “O bairro estava abandonado há muito tempo. Quem ganha com as obras é a população que mora no João Eduardo II”, destacou ele. As obras de urbanização foram iniciadas na semana passada e vão benefi-ciar mais de 1300 pessoas.

A Prefeitura já promoveu semelhante intervenção em várias regiões da Capital, como o bairro Ilson Ribeiro, que com recursos do Ministério das Cidades recebeu trabalho de urbanização no valor de R$ 5.103.729,70. Foram também beneficiados o Mocinha Magalhães (R$ 13.101.848,21); o Novo Calafate (R$ 8.244.922,39); o Laélia Alcântara (R$ 2.650.935,96); o Boa União (R$ 11.393.970,74); Vanderley Dantas (R$ 6.716.031,90); Jorge Lavocat e Tancredo Neves (R$ 3.652.817,49). No total, foram investidos R$ 58.403.311,07 em recursos do Tesouro Municipal, em parceria com o Governo do Estado, BNDES, Ministério das Cidades e Projeto Calha Norte do Ministério da Defesa. (Ascom PMRB)

 

Assuntos desta notícia


Join the Conversation