Expoacre 2010 destaca o momento de oportunidades da indústria acreana

Usada como um parâmetro dos setores acreanos, a Expoacre 2010 tem reforçado a atual fase de bons negócios e oportunidades vivida pela indústria. Motivados por expectativas altas e pela evolução do setor, mais de 300 empresários locais nunca encontraram ambiente tão propício para expor as suas maiores inovações de produtos e serviços. Com isso, a participação do setor é a maior dos últimos anos, ditando o ritmo de crescimento do volume de negócios da feira e lhe conferindo o status de agregadora multi-setorial.

Para expor um clima tão positivo, os industriários ganharam um novo e moderno galpão de 2.000 m2 de área construída, com cobertura e adaptações para abrigar em torno de 70 industriários. Nada mal para um setor que tinha espaço provisório e 53 expositores (isto é, aumento de quase um terço) em 2009. Assim, chances não faltam para que empreendedores mostrem a sua marca comercial para um público de milhares de clientes em potencial.   

E o empresariado acreano não tem sido bobo! As chances estão sendo agarradas.

De acordo com presidente da Federação das Indústrias do Acre (Fieac), João Francisco Salomão, os industriários despertaram de vez para a importância de expor os seus produtos na feira. Nestes 6 primeiros dias, as vendas têm sido tão boas que geraram as melhores expectativas de negócios até domingo. Por conta disso, os expositores têm representado quase todos os ramos industriais, desde os alimentícios (maior), até os moveleiros, pré-moldados, eletro-eletrônicos, de eletrodomésticos e até de reciclagem.  

“Com a nova estrutura para a indústria (parceria Governo/Fieac), o empresário passou a ter qualidade para expor mais surpresas ao público. Há coisas produzidas aqui que até eu, que faço parte do setor, desconhecia. Para mim, isto é um reflexo claro do desenvolvimento industrial, no qual o empreendedor acreano fica positivo, arrisca mais, amplia negócios. E a tendência é de que isso continue aparecendo na Expoacre”, comentou Salomão.

Além dos lucros e espaços mais adequados, o industriário acreano pode contar com uma série de outras atividades imateriais na Expoacre. Desde palestras até cursos e oficinas, a sala de eventos no Parque de Exposições recebe eventos diários, para conhecimentos gerais, tais como industrializações, maquinárias pesadas, investimentos e aplicações positivas, setores do mercados, comercialização, níveis de produção, entre outros.  

O futuro – Para as próximas edições, o presidente da Fieac conta que o grande desafio da indústria acreana será manter o nível surpreendente que vem atingido de participação na feira, refletindo os diversos fatores positivos que deve recair sobre o setor. Entre eles, Salomão destaca a conclusão da estrada interoceânica, do trecho na BR-364 até Cruzeiro do Sul e a implantação da ZPE (Zona de Processamento de Exportação).  

 

Assuntos desta notícia


Join the Conversation