Hildebrando Pascoal é submetido a uma cirurgia no Hospital das Clínicas do Acre

O ex-deputado federal e coronel aposentado da Polícia Militar do Acre, Hildebrando Pascoal Nogueira Neto, 58 anos, foi submetido a cirurgia ontem, 15, no Hospital das Clínicas do Acre – antiga Fundhacre. O procedimento foi realizado pelo cirurgião-geral com especialização em cirurgia vascular periférica, médico Thadeu Silva de Moura.
Hildebrando1607
A gerente-geral do Hospital das Clínicas, Weruska Lima Bezerra, não forneceu detalhes acerca do tipo de cirurgia que foi realizada, mas assegura que ocorreu dentro do esperado e o paciente passa bem. Informou ainda que a internação de Hildebrando ocorreu por volta das 13h30 do dia anterior, quando foram checados todos os exames necessários a esse tipo de intervenção.

O paciente deu entrada no centro cirúrgico por volta de 10h da manhã e retornou ao leito por volta de 12h. A segurança está sendo mantida por homens da Polícia Militar. Eles devem permanecer no local enquanto durar a internação.

De acordo com Weruska, somente amanhã, 24 horas depois da cirurgia, é que será possível, mediante avaliação médica, saber quanto tempo mais Hildebrando deve permanecer internado.

Esta foi a segunda vez este ano que Hildebrando Pascoal deixou a Unidade Penitenciária Antônio Amaro Alves, onde está recolhido por ordem da Justiça, para se submeter a tratamento de saúde. No mês passado, ele ficou internado uma semana em decorrência de uma infecção urinária.

A época já se ventilava a realização de uma cirurgia. Hildebrando é um réu que requer cuidados especiais. Além de hipertensão e diabetes, também sofre de síndrome do pânico, situação que teria sido amenizada quando passou a cuidar da biblioteca da UP-AAA.

Atualmente, a soma das penas do réu é de 106 anos de prisão, em oito processos julgados, restando ainda um no Acre (Caso Clerisnar) e outro no Piauí, onde é apontado como o autor da morte de José Hugo, assassino do seu irmão Itamar Pascoal.

Ele está preso desde 1999, quando foi denunciado como o líder de um grupo de extermínio no Acre, além de ligação com o narcotráfico. De acordo com os relatórios carcerários, o réu apresenta bom comportamento.

Assuntos desta notícia


Join the Conversation