IBGE qualifica recenseadores para o Censo 2010

O IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) está em fase final de preparação para realizar o maior censo populacional de sua história. Com investimentos de R$ 1,6 bilhão, o órgão pretende visitar cada imóvel onde haja um brasileiro para realizar a pesquisa, que se revela como uma radiografia da realidade nacional.

No Acre a situação não é diferente. De ontem até sexta-feira (6), o IBGE qualifica os mais de 600 profissionais que atuarão nos 22 municípios. O Censo 2010 tem início no próximo dia 1º e tem previsão de término até a primeira semana de novembro.

Nesta segunda fase de preparo (a primeira foi o próprio concurso público), o instituto avaliará os conhecimentos técnicos dos candidatos. Essa é uma etapa eliminatória: quem não atingir a pontuação estipulada é desclassificado. Entre outros temas, eles aprendem a manusear o PDA, computador de mão que substituirá os antigos formulários de papel.

“Antes de operar o PDA eles precisam aprender melhor alguns conceitos que serão aplicados no censo, como população e domicílios”, disse Marco Fabio Esteves, chefe do IBGE no Acre. Mas o sucesso do censo, afirmou ele, dependerá também da colaboração da sociedade. Para que os resultados sejam fiéis, as famílias precisam receber os recenseadores.

Os profissionais andarão devidamente identificados com coletes e crachás do IBGE. Caso restem dúvidas, o entrevistado pode consultar o instituto para saber se realmente quem pretende o entrevistar está cadastrado. A consulta pode ser feita pelo 0800 721-8181 ou pelo site www.censo2010.ibge.gov.br.
Sobre as dificuldades a serem enfrentadas pelo IBGE pelas características de um Estado amazônico como o Acre, Esteves afirma que o instituto já tem experiências que garantem o sucesso das pesquisas nestas regiões.

Para garantir o acesso às localidades mais distantes, o órgão conta com veículos e embarcações especiais. “É uma operação muito cara, mas que nos preparamos antecipadamente”, garantiu ele. No Acre, o Censo 2010 terá um custo de mais de R$ 1 milhão.

 

Assuntos desta notícia


Join the Conversation