Obras mantêm elevação do índice de emprego na indústria acreana

Impulsionados pelo volume de obras, que continua em crescimento, os indicadores de emprego nos setores industriais do Acre continuam em alta. Em junho, o emprego na construção civil subiu 2,91%, em relação a maio.  No setor de transformação, o crescimento no emprego em maio, comparado a abril, foi de 3,29%. Os dados foram revelados pelo conjunto de pesquisas realizadas pelo Sistema Federação das Indústrias do Estado do Acre (Fieac), por meio do Instituto Euvaldo Lodi (IEL), com análises do Centro de Ciências Jurídicas e Sociais Aplicadas da Ufac. As pesquisas foram divulgadas ontem.

No entanto, com respeito às “Vendas Industriais”, observou-se uma redução de 1,59% na indústria de transformação, apesar da maioria dos segmentos pesquisados terem apresentado evolução nas vendas. Neste caso, foi o segmento de “madeira/móveis”, que tem peso importante na construção do índice agregado, que sofreu a baixa, influenciando na queda constatada no agregado da indústria.

“Já com relação à capacidade instalada, observou-se uma elevação de 3,95% em maio em comparação a abril, o que se deve, principalmente, ao aumento desta variável verificado no segmento de ‘minerais não-metálicos’, explicado pelo volume de obras da construção civil que está em crescimento”, argumentou João Francisco Salomão, presidente do Sistema Fieac.
 
CESTA BÁSICA
Elaborada pelo Sindicato da Construção Civil do Estado do Acre (Sinduscon-AC), a cesta básica de itens da construção civil sofreu uma ligeira elevação de 0,22% em junho, comparativamente ao mês anterior. O objetivo desta pesquisa é oferecer ao setor da construção civil, e sociedade em geral do Estado, informações referentes aos preços médios de materiais de construção, utilizando como referência os estabelecimentos comerciais da Capital.

ÍNDICE DE CONFIANÇA DO EMPRESÁRIO
Outro dado divulgado pelo conjunto de pesquisas é o Índice de Confiança do Empresário Industrial Acreano (Icei), que, em junho foi de 61,3 pontos, contra 61,2 registrados em maio. Apesar do reduzido otimismo quanto às expectativas de futuro, a categoria considera como boa as condições atuais para suas atividades. Com relação às perspectivas do empresariado industrial acreano para os próximos seis meses, 50% dos entrevistados afirmaram pretender incrementar as compras – sendo que 41,7% informaram que as mesmas permanecerão estabilizadas. (Ascom Fieac)

 

Assuntos desta notícia


Join the Conversation