Bocalom participa de encontros em Feijó, Tarauacá e Jordão

No sábado pela manhã, em Feijó, a Coligação Liberdade, Produzir para Empregar foi recebida em festa pelo Grupo União, em uma aldeia Kaxinawa localizada às margens do Envira. Já do alto do barranco, os índios, vestidos a caráter, saudaram os candidatos da oposição com seus cantos e danças.
Bocalom2007
Em seguida, como uma demonstração de carinho e seguindo suas tradições, os índios carregaram nos braços Tião Bocalom, Sérgio Petecão e Joäo Correia até o barracão central da aldeia. Lá dentro, os candidatos participaram, juntamente com a aldeia, da chamada “Dança do Monu”, em comemoração aos 64 anos do hunikui Bake, uma das mais tradicionais lideranças indígenas do Alto Envira. Ao agradecer a presença dos candidatos, as lideranças denunciaram ainda o péssimo estado da saúde e educação nas aldeias e declararam a disposição de votar pela renovação e pela liberdade.

Tarauacá
Sábado à noite na Câmara municipal de Tarauacá, foi a vez da população responder em massa ao chamamento da oposição. Em sua fala, Bocalom enfatizou que, “o projeto da oposição é a mudança em defesa de uma população cansada do abandono e das promessas não cumpridas”. Candidata a reeleição, a deputada Idalina (PPS) lembrou que o desemprego levou o Acre a ter o maior índice brasileiro de população carcerária juvenil, “o que comprova a falência deste modelo de governo que ai está”.

Em seguida, o delegado Mardilson Vitorino, candidato a deputado estadual pelo PPS, lembrou das perseguições que sofreu, “por não compactuar com os desmandos”. Já o deputado federal Flaviano Melo (PMDB), candidato a reeleição, destacou que o atual governo, “escolheu as prioridades erradas e hoje o Estado patina no desemprego e na falta de produção”. Flaviano denunciou ainda o autoritarismo do PT, ao impor o novo horário e tentar impedir em Brasília seu projeto de referendo para que a população pudesse escolher livremente o fuso. “Felizmente, graças a ajuda do deputado Sérgio, o povo acreano vai poder escolher em outubro que horário pretende ficar”.

Jordão
Mesmo com a persistência da friagem, a Coligação Liberdade e Produzir para Empregar conseguiu reunir um grande número de pessoas no domingo à noite em Jordão. No comício, Sian Kaxinawa, uma das maiores lideranças indígenas no Estado, declarou seu apoio à Coligação e ainda colaborou para a filiação do líder Elias Paulino ao PSDB. O ex-prefeito Espiridião Filho, candidato a estadual pelo PMDB, afirmou que o atual governo não atendeu as necessidades mais urgentes do Jordão, que até hoje sofre com o isolamento e a falta de produção”.

Em praça pública, as principais lideranças indígenas locais pediram a interferência dos políticos presentes para mudar o  péssimo estado da saúde no município. Bocalom defendeu a abertura de uma estrada vicinal para tirar o município do isolamento “que entrava qualquer tentativa de desenvolvimento”, enquanto que Sérgio Petecão lembrou à população que o voto vai ser a grande arma, “para dar o troco a arro-gância, à perseguição e ao autoritarismo”.    

 Pesquisa
Quanto a recente pesquisa divulgada o candidato de oposição Tião Bocalom a desqualifica justificando que ela não retrata a realidade atual. “Começamos nossa campanha agora, viajando pelos municípios e quem anda pelas ruas vê que a história é diferente do que eles tentam mostrar nessa pesquisa”, disse Bocalom que, lembra recentemente estar nos jornais e sites a diretoria da Federação das Indústrias declarando apoio a turma da Frente Popular e agora lança essa pesquisa. “Seria muito esquisito se o Bocalom estivesse bem nessa pesquisa né?”, ironizou Tião Bocalom. (Assessoria) 

Assuntos desta notícia


Join the Conversation