“Pra você vencer na vida” é o slogan que embalará a campanha da FPA

Uma frase muito simples será o mote que irá embalar os candidatos majoritários da FPA: “Pra Você Vencer na Vida”. O evento de lançamento da logomarca, do jingle e do vídeo clipe da campanha para os jornalistas, ontem, no Espaço Gaia, reuniu mais de 300 pessoas. Os publicitários da CIA de Selva, responsáveis pela criação, Gilberto Braga e Davi Sento Fé, resumiram os conceitos que nortearam a programação visual e a base filosófica para o seu conteúdo. 
Pra-voce-vencer
O redator Gilberto Braga definiu o conteúdo da campanha como uma tradução do discurso da FPA. “A orientação dos candidatos majoritários da FPA foi de que se tivesse uma proposta única e a gente chega ao conceito novo de fazer uma campanha unificada para três candidatos tendo um projeto como destaque. A tradução foi o que eles disseram. Se trabalhou muito, a FPA mudou o Acre e construiu uma infra-estrutura para criar condições para que as pessoas possam trabalhar, os jovens possam aprender e com isso conquistem o seu lugar ao sol”, ressaltou.

Já o artista gráfico Davi Sento Fé explicou que a programação visual não é nada mais do que um diploma da realidade que se está vivendo. “É uma fotografia de um determinado momento da história política do Estado. Essa fotografia tem características interessantes para os artistas gráficos perceberem. Não tem grandes sombras, não tem cores mirabolantes, não tem dégradé, nem volume e nem 3D. São letras chapadas, com cores simples, suaves e modestas porque querem retratar o espírito e não as pessoas. Está expressando uma série de sensações que cercam esse momento. A função é para que as pessoas se vejam refletidas nesse projeto”, argumentou.

Criação publicitária arranca elogios dos candidatos
O candidato a governador Tião Viana (PT) elogiou o trabalho dos marqueteiros e explicou as razões da campanha três em um. “Nós achamos que um dos acertos com a história do Acre, em relação ao seu futuro, se vinculou com a palavra união. Quando estamos juntos eu, o Edvaldo e o Jorge nós refletimos uma grande união que começou na segunda metade dos anos 80 e já veio precedida do movimento sócio ambiental que o Acre estava vivendo. Depois se afirmou nos bons modelos de gestão pública que retomou o processo de auto-estima pelo Acre. Enfrentamos o grande desafio de criar a infra-estrutura necessária para podermos falar a favor de dois grandes eixos: a industrialização como base futura para o desenvolvimento e o fortalecimento das comunidades pela micro-economia. Os nossos passos em direção ao futuro tem a palavra união”, afirmou.

O ex-governador, Jorge Viana (PT), que concorre ao Senado, também exaltou o conceito da campanha. “No projeto do Acre tem hora que estamos na platéia aplaudindo. Hora que estamos no palco sendo os atores da nossa peça. Também às vezes somos chamados a conceber a construção disso tudo. O Gilberto falou que na concepção dessa campanha só há como identificar a criatura porque os criadores foram muitos. Mas eles conseguiram nas nossas conversas extrair aquilo que é o sentimento da acreaneidade que é a maior força que o Acre tem. A política que a gente imagina é essa que não se desgruda do sentimento, da dedicação e do cuidar. É algo nobre em que as pes-soas que a exercem tem que servirem de referências para o Estado”, justificou.

O outro candidato ao Senado, Edvaldo Magalhães (PCdoB), também destacou os traços de união da criação publicitária. “Foi dito pelo Gilberto que essa é a única campanha nesse formato que o Brasil vai conhecer. É que o Acre tem feito coisas diferenciadas. É o único lugar que tem uma aliança que permanece unida durante 20 anos. Essa peça publicitária é como se fosse uma homenagem aos 20 anos da FPA e a gente está vivendo o nosso momento de maior unidade política. Por isso, essa campanha tem tudo para construir a nossa maior vitória”, comemorou.    

Brincando com os criadores da campanha o governador Binho Marques disse: “tem uma coisa que não gostei. O projeto ficou muito melhor que o da minha campanha. O trabalho está maravilhoso e o pessoal da CIA de Selva fez uma síntese de muitas conversas. A vida de todos nós está nesse projeto. O que a gente mais queria era chegar aos sentimentos das pessoas. A nossa comunidade está feliz porque sabe que é parte do projeto. Essa peça mostra que o projeto é feito para todos e para cada um”, finalizou.

 

Assuntos desta notícia


Join the Conversation