Atitude é tudo!

Até que enfim o governador Binho Marques se posicionou.

Quando um governante vem à público e diz que quer respeito para com o seu povo, podem ter certeza que o problema será resolvido.
Já era tempo.

Desde o ano passado temos falado, reclamado, pedido, colocado a boca no microfone, e parecia que estávamos falando às paredes.

Sempre tive a sensação de que a falta de energia, as oscilações, as queimas de equipamentos não acontecia na casa do governador porque ele deveria ter um gerador de energia próprio, movido à diesel.

Não tem. Ele também sentiu na pele o que é ficar sem energia elétrica no apagão de terça-feira.

Reclamei e reclamo do preço que pagamos nas contas de eletricidade. Reclamo dos picos de energia que queimam freezers, computadores e outros equipamentos essenciais para o ganha pão do povo acreano.

Reclamei e reclamo do ICMS de 25%, do imposto calculado “por dentro” que eleva nossas contas em mais de 33% que inviabiliza qualquer pequeno negócio. O que sempre obtive foi respostas evasivas por parte de quem pode realmente mudar a lei e fazer diferente de forma que a população seja benefi-ciada com uma conta menos abusiva.

Se não bastasse o valor do kilowatt-hora ser o mais alto do país, ainda sofremos com as interrupções, com os apagões e com a falta de gestão.
Teve gente da administração estadual que até me disse que energia é cara mesmo, que tudo é caro e que deveríamos pagar o preço.
Podemos até pagar o preço.

Pagamos mas reclamamos porque se trata de um serviço essencial. Trata-se de um serviço indispensável para que o Estado chegue ao patamar de desenvolvimento que todo acreano de bem deseja.

Fiquei feliz, saltitante, ao ler a nota oficial do governador Binho Marques. Ele se posicionou, tomou uma atitude de estadista.

É isso aí Binho!

Se nossa autoridade maior não for lá, no Ministério das Minas e Energia e puxar, pelo colarinho, esse pessoal da Eletrobras, Eletronorte e quem mais for responsável pelos apagões e dizer: respeite o povo do meu Estado! Ninguém mais pode fazê-lo.

Sei que deputados federais estão envolvidos com a questão da energia elétrica no Acre, mas eles, como eu, só tem o parlamento (eu o microfone e eles a tribuna do Congresso Nacional). Não temos poder de decisão. Não temos “moral” para dizer que apesar de estarmos no fim da linha, somos gente, somos brasileiros e queremos ser respeitados.

Com o governador Binho Marques no comando desse movimento de insatisfação, é possível que o pessoal do bairro Sobral volte a fazer seus deliciosos picolés, é possível que as galinhas da Frigoave, de Brasiléia, não morram mais sem ventilação, enquanto sonhamos com a implantação e execução das ZPEs – Zonas de Processamento de Exportação.

Eliane Sinhasique é jornalista, radialista e publicitária
sinhasique [email protected]

Assuntos desta notícia


Join the Conversation