Política local 06/08/2010

“Estou mapeando os pontos de montagem de listas de compra de votos para dar ao TRE”.

Labib Labibiano, que comanda a campanha por uma eleição limpa.

Fatos na mesa
Quem me ligou ontem foi o ex-prefeito de Brasiléia, Aldemir Lopes (PMDB), para esclarecer: “meu candidato a deputado estadual é o vereador Everaldo (PMDB) e não tenho acordo com qualquer candidato a deputado federal”. Fica o registro. Aldemir é o único nome de prestígio e votos, com poder comprovado de transferência, que ainda restou à oposição, no Vale do Acre.

Luz vermelha
A negativa de registro às candidaturas à Aleac de Vilseu Ferreira e José Bestene acendeu a luz vermelha no PP: sem ambos na chapa, dificilmente, elegerão dois deputados estaduais.

Disputa sem favorito
A tendência sem Vilseu e Bestene é o PP fazer um estadual e, neste caso, será travada uma briga de foice entre os deputados Elson Santiago (PP) e Maria Antonia (PP) pela vaga.

Notícia péssima
O sinal verde da candidatura do Bebeto Junior (PSDB) à Aleac pelo TRE, por sua vez, não foi boa notícia aos candidatos da coligação PSL-PSDB, por ser forte na disputa de uma das vagas.

Disputa dura
A aliança PSL-PSDB deve fazer de três a quatro estaduais e estão na disputa: Calixto, Josemir, Donald, Werles Rocha, Toinha Vieira, Bebeto Junior, Luiz Gonzaga, Alonso e Marileide.

Basófias e verdade
Assisti a entrevista do candidato ao governo, Tião Bocalon (PSDB), no programa do Jorge Said, na TV-Rio Branco, cheia de basófia, mas com uma verdade: de fato ele desmentiu nas urnas todos os números do Ibope a seu respeito. Foi assim na eleição ao governo e para a PMRB.

Voz do povo
Mudanças são bem-vindas quando é para melhor. Não é o caso das modificações no trânsito da cidade que ficou mais complicado que o traçado anterior, levando a reclamações em massa.

Surfando nos números
Político da FPA fazia ontem ironia com os prefeitos de oposição que anunciaram apoio a candidatura Dilma (PT): “puro oportunismo, só aderiram quando ela pulou para a liderança”.
 
 Desde do berço
Quando José Serra (PSDB) liderava as pesquisas, de fato, todos eram Serra desde criancinha.

Crime político
Não se conversa com uma viva alma em Acrelândia que não diga que o crime do vereador Pinté, que chocou o município, não foi político, e todos apontando para a mesma direção.

Pinto na rua
O vereador Rodrigo Pinto (PMDB), enfim, decidiu ser candidato a deputado estadual e colocou a sua campanha na rua, depois da nebulosa desativação da candidatura para governador.
 
Descontentamento
O deputado Donald Fernandes (PSDB) não consegue esconder seu descontentamento com o fato dos tucanos terem como aliado para a Aleac só o PSL, o que o deixou num imprensado.

Estranho no ninho
O deputado Donald Fernandes continua ser visto pela cúpula tucana como um “estranho no ninho” e de banda, desde que trombou publicamente com o presidente Tião Bocalon (PSDB).

Campanha isolada
Falando em Tião Bocalom (PSDB), ele faz uma campanha isolada, com raros candidatos proporcionais ao lado nas visitas, o que é um erro brutal para quem disputa o governo.

É fatal
É fatal a um candidato majoritário não colar a campanha dos candidatos a deputado à sua.

Verbo contra a verba
O candidato à Aleac, Astério Moreira (PRP), justifica assim o fato de viver socado nos bairros em reuniões: “como eu não compro votos, não tenho verba, então tenho que usar o verbo”.

Patifaria aberta
Falando em compra de votos virou uma patifaria escancarada a montagem de listas com essa finalidade.

Mochila nas costas
A candidata a deputada Iolanda Lima (PTB) não gostou de não ser lembrada pela cúpula da FPA para a reunião de ontem em Manuel Urbano, seu reduto, e apareceu de surpresa no encontro.

Conversa franca
Iolanda ficou de ter uma conversa franca com o candidato a deputado federal Sibá Machado (PT), presente na comitiva, para sacramentar ou não a parceria discutida entre ambos.

Merece aplausos

Saiu melhor que a encomenda a atual composição do TRE/AC. É a dedução clara pela forma como fez os julgamentos de candidatos que deixaram de preencher os requisitos formais e dos que tinham sido denunciados pelo MPF na Lei da “Ficha Limpa”. Liberou os que não tinham cometido crime contra o erário público e vetou a candidatura dos que usaram essa prática. Com isso ficou a certeza que haverá punição exemplar aos compradores de votos.

Assuntos desta notícia


Join the Conversation