Política nacional 06/08/2010

“Para mim, esse filme é reprise, porque já o assisti há vinte anos”.

Joaquim Roriz, candidato impugnado ao governo do DF, revelando-se um réu veterano.

‘Operador’ some com dinheiro doado ao PSDB
O comando do PSDB enfrenta um escândalo interno: após “passar o chapéu” junto a empresários paulistas, solicitando doações em dinheiro para a campanha tucana, um “operador” devidamente credenciado sumiu sem deixar rastro. E, com ele, cerca de R$ 4 milhões. Como o dinheiro foi doado “por fora”, a tucanada nem pode chamar a polícia. Um senador confirmou a história, mas pediu para não ser citado.

Por fora é mais
A quantia supostamente surrupiada da campanha tucana corresponde ao dobro da arrecadação oficial declarada pelo comitê de José Serra.

Esconde, esconde
O PSDB não revela o nome do homem sumido, mas ele freqüentava a Casa Civil do governo paulista, chefiada por Aloysio Nunes Ferreira.

Pilantropia
Bilionários dos EUA vão doar 50% de suas fortunas aos americanos. Os bilionários do Brasil tiram 50% do nosso dinheiro no BNDES.

Perguntar não explode
Os robôs anti-bombas apresentados para a Copa do Mundo no Brasil vão mesmo detectar as bombas a serem produzidas em 2014?

Caos da Gol e dirigentes
O superintendente de Regulação e Acompanhamento de Mercado da Agência Nacional de Aviação Civil, Juliano Noman, responsável pelas autorizações dos vôos e por fiscalizar as empresas aéreas, está na Argentina com outros dois gerentes (Ronei Glanzmann e Rogério Coimbra). E no final das férias, quando a Anac mais precisava deles. Teria Noman voltado tão logo o caos da GOL se agravou? Não, ele continua aprimorando seus conhecimentos técnicos em Buenos Aires.

Hora-extra
Lula, que só começa no batente às 9h, descumpriu ontem a agenda de “presidente de 8h às 18h”. Recebeu José Sarney às 18h30.

Hora da verdade
O marqueteiro Chico Santa Rita, especialista em campanhas eleitorais, mudou de lado: é candidato a deputado federal pelo PV de São Paulo.

Pergunta no terreiro
Que ritual mágico do vodu cubano “ressuscitou” o velho ditador Fidel Castro, que agora voltou a falar pelos cotovelos, em Cuba?

Voto e coerência
Ocupante de vaga de advogado no TRE/DF, Raul Sabóia foi um dos dois votos favoráveis a Joaquim Roriz, afinal impugnado. Sabóia é diretor-tesoureiro da OAB-DF, que em nota saudou a aprovação da Lei do Ficha Limpa e defendeu sua aplicação já nas próximas eleições.

Apego à rapadura
Novos dirigentes dos Correios contam, em tom de galhofa, que o ex-presidente Carlos Henrique Custodio teria solicitado continuar usando por 90 dias celular e carro com motorista da estatal. Não foi atendido.

Craque no time
O jornalista Amaury Ribeiro Jr, ex-Folha e ex- IstoÉ, entre outros, foi contratado pela Rede Record para organizar o setor de jornalismo investigativo, junto à Direção de Jornalismo, em São Paulo.

Caroço no angu
Há grande barulho em Florianópolis contra um estaleiro da OSX, de Eike Batista, em Biguaçu (em frente a ilha de Santa Catarina), por razões ambientais. No PT, só a senadora Ideli Salvatti é a favor. Hum…

Voto ao promotor
O deputado distrital Chico Leite (PT), futuro campeão de votos em Brasília, aborda eleitores informando que é promotor. Lembra que “do outro lado estão os bandidos” e pede “voto de confiança no promotor”.

Encontro mimoso
O chanceler de Cuba, Bruno Rodríguez, fez média, após encontro com Lula no Alvorada, e mentiu sobre o papel do Brasil na liberação de 52 presos políticos. Compungido, Lula comparou a “felicidade” deles com a sua, após 30 dias em cana na ditadura. Com direito a comer, diga-se.

Bola bêbada
Quem prestou atenção na TV, durante o jogo Vitória x Santos, quarta à noite, viu entre os anunciantes o painel do aniversário da Caninha 51. Pela lei 10.167, só é permitido anúncio de vinho e cerveja.

Solidários
O Grupo Voluntários de Combate ao Câncer, do Hospital Amaral Carvalho, celebra 14 anos amanhã, com festa em Jaú. Referência no tratamento pelo SUS, foi eleito um dos dez melhores de SP, em 2009.

Perguntinha ao TSE
Bêbado não pode, mas dá para votar anestesiado em 3 de outubro?

PODER SEM PUDOR

Ah, não!

Sempre que visitava o marechal Castelo Branco – um tampinha sem pescoço, primeiro presidente do regime militar – o governador da Paraíba, João Agripino, ouvia a mesma pergunta:
­– Como vai o deputado Soares Madruga?
Um dia, intrigado, Agripino perguntou a Castelo por que tanta preocupação com o deputado. Consta que o marechal respondeu:
– Ele me impressiona: é baixinho e não tem pescoço, mas ninguém o chama de anão.

Assuntos desta notícia


Join the Conversation