Dez meses após desaparecimento da filha, mãe ainda aguarda resultado de investigação

A dona de casa, Ione Paiva do Nascimento, 36 anos, mãe da criança, Antônia Isabel do Nascimento Souza, 03 anos, desaparecida desde à tarde do dia 16 de outubro do ano passado, do bairro Cadeia Velha,  reclama da falta de investigação da polícia.
Crianca_desaparecida
Segundo a mãe Ione Paiva do Nascimento, a delegada  Mardhia El-shawwa, responsável pelo Núcleo de Atendimento à Criança e Adolescente Vítima – NUCRIA, da Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher – DEAM, e que presidia o inquérito que apurava o desaparecimento da criança na época, antes de sair teria dito que não havia mais o que investigar e que testemunhas disseram a delegada que teria sido a própria mãe (Ione) que seria responsável pelo desaparecimento da filha, pois ela havia vendido a criança.

Revoltada, com o que ouviu da delegada Ione Nascimento procurou outras autoridades, mas alega que não teve nenhum apoio, agora ela afirma que vai procurar o Ministério Público Estadual – MPE.

“O que a delegada Mardhia, falou a meu respeito é um absurdo, eu não entregaria minha filha a nenhum desconhecido, imagina vendê-la” declarou a mãe.

A dona de casa disse ainda, que o delegado da DEAM que teria assumido  o lugar da delegada Mardhia, não a recebe mais, e Ione afirmou que não sabe mais a quem recorrer.

“Acho que esse desprezo só acontece comigo porque sou pobre, para as autoridades parece que desapareceu um cachorro, pois além de não investigarem mais, deram o caso como encerrado e ninguém me avisou nada. Apenas a delegada Mardhia, que me acusou de ter vendido minha filha, e disse isso pra mim quando eu fui procurá-la”

Ione, afirmou ainda ter esperanças de encontrar à filha, mas precisa da ajuda da polícia, e de entidades ligadas à questão. “Sozinha é quase impossível, mas não vou desistir” afirmou a mãe.

Entenda o caso
O desaparecimento misterioso da pequena Antônia Isabel, de 03 anos, ocorrido na tarde do dia 16 de outubro do ano passado, na Travessa Laércio Dias, bairro Cadeia Velha, mobilizou familiares, vizinhos, Polícia Militar e Corpo de Bombeiros, que realizaram buscas no bairro e à margem do rio Acre  tentando encontrar qualquer vestígio da pequena Antônia.

A criança sumiu quando a mãe, Ione Paiva, teria deixado a filha no banheiro, localizado no quintal do quarteirão para pegar um sabonete dentro de casa.

Ao retornar não encontrou a criança, imediatamente foi até a rua, onde seus cinco filhos brincavam na companhia de outras crianças da vizinhança.

Durante uma semana o Corpo de Bombeiros e policiais militares realizaram buscas em terrenos baldios, à margem e dentro do rio Acre, mas nada foi encontrado.

Durante as investigações realizadas por investigadores do Nucria, cooordenados pela delegada Mardhia El – Shawwa se deslocaram até o município de Sena Madureira, onde a policia teria recebido informação que a criança teria sido vendida a um casal pelo valor de R$ 20 mil.

A informação teria sido repassada a polícia dando conta que um traficante teria seqüestrado a criança e vendido para adoção.

A delegada Mardhia El-Shawwa, declarou dias depois que nada foi confirmado a respeito da denúncia de venda da criança.

Assuntos desta notícia


Join the Conversation