Política nacional 28/09/2010

“A imprensa é absolutamente livre para publicar o que bem entender”.

Ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal e presidente do TSE.

Ex-diretor dos Correios abre o jogo na PF, hoje
Oex-diretor de Operações dos Correios Marco Antonio de Oliveira vai depor na Polícia Federal, nesta terça, e amigos dele afirmam que sua intenção é abrir o jogo, detalhando o espantoso esquema que revelou à revista Veja, incluindo um pedido de propina de R$ 5 milhões para “resolver pendências” na campanha de Dilma Rousseff (PT). Ele confessou que fazia “prospecção” de novos “clientes” para Israel, filho da ex-ministra Erenice Guerra, para negócios com o governo Lula.

Hora da vingança
Enxotado do esquema de Israel Guerra, Marco Antonio contou tudo. “A Casa Civil virou uma roubalheira”, disse a Veja, em conversa gravada.

‘Traição’ familiar
Até Vinícius Castro, o sobrinho que ele levou para a Casa Civil, teria virado as costas para Marco Antônio. Ele não suportou a “traição”.

Dono das contas
O genro de Marco Antonio, Roberto Ribeiro, cujas contas no exterior seriam usadas para receber propinas, vive em Coral Gables, Miami.

Lugar incerto
A ex-ministra Erenice bem que poderia ajudar a PF a encontrar seus filhos Israel e Saulo, que ainda não foram notificados para depor.

Apoio de Rosso
A negociação que levou o governador  Rogério Rosso a declarar apoio a Weslian Roriz, candidata ao governo do Distrito Federal, inclui a nomeação dele para o Tribunal de Contas. Há duas vagas no TC: uma de indicação da Câmara Legislativa e outra de escolha do governador – a que será aberta com a aposentadoria compulsória do Domingos Lamoglia, réu no inquérito 650, da operação Caixa de Pandora.

Toma lá, dá cá
O acordo é para Rogério Rosso não indicar ninguém e, assim, ganhar a indicação de Weslian Roriz, caso ela vença a eleição

Triller
Na Paraíba, um candidato, Lindolfo Pires, usa músicas de Michael Jackson como jingle de campanha. Caiu no gosto das crianças.

Sinal vermelho
No Piauí, dois dos senadores mais atuantes do País, Mão Santa (PSC) e Heráclito Fortes (DEM), correm o risco de não renovar os mandatos.

Obscurantismo
Durou uma eternidade – três dias! – a liminar de um desembargador do Tocantins censurando, na imprensa local, notícias do envolvimento do governador Carlos Gaguim num suposto afano de R$ 650 milhões.

Alô, CNJ
Já passou da hora de o Conselho Nacional de Justiça proibir liminares impondo censura prévia à imprensa, em geral para proteger políticos pilhados em malfeitorias. E nem há a desculpa de “regime autoritário”.

Insegurança sem fim
O Tribunal Regional Eleitoral do DF pode realizar uma sessão extra, sábado (2), para decidir se é válido o drible malandro de Joaquim Roriz, fazendo de sua mulher Weslian candidata ao governo.

Espelho meu
A revista Época confirma revelação desta coluna em 13 de maio: o ex-presidente dos Correios Carlos Henrique Custódio pediu à Polícia Federal para investigar suposto grampo em carros dos seus diretores.

Mico pernambucano
Pegou muito mal entre os eleitores de Sergio Guerra (PE), presidente nacional do PSDB, o apoio por ele recebido de um vereador de Caruaru, Neguinho Teixeira, que andou uma temporada em cana.

Flagrante
No DF, a deputada distrital Eliana Pedrosa (DEM) representou no Tribunal Regional Eleitoral contra servidores que usam a Kombi placa JSP 5651, do próprio TRE. Ela os viu retirando sua propaganda, no Lago Sul, enquanto poupavam cartazes de outros três candidatos.

Cascata na tevê
Dilma disse na Record que o governo “valoriza servidores de carreira”. Técnicos em comunicação social do governo dizem que é mentira. O ministro Franklin Martins (Propaganda) nem aceitou discutir o assunto.

Deu bode
Ex-chefe de gabinete do ex-ministro Ciro Gomes, Oman Carneiro (PRB) fazia campanha para deputado na companhia de um bode, na região de Sobral, mas o Ibama proibiu o uso do bicho como cabo eleitoral. Oman o substituiu por um bode sintético.

Serpentário em dúvida
O Itamaraty está dividido na qualificação de seu chanceler: Celso Amorim seria uma megalonanico ou apenas um periquito de pirata?

PODER SEM PUDOR

Rolando o lero e a malícia

Citado como galanteador pela ex-ministra Zélia Cardoso de Melo, o então chanceler Francisco Rezek apontou maliciosamente para o Ministério da Justiça, onde dias antes Jarbas Passarinho confessara estar apaixonado:
– Os ventos de Eros só sopram do lado de lá…
Dias depois, Rezek, o “Rolando Lero” (sempre prolixo), foi a uma reunião e ouviu o troco de Passarinho, que provocou gargalhadas:
– Espelhemo-nos no chanceler e sejamos sintéticos…

Assuntos desta notícia

Join the Conversation