Binho inaugura centro de ensino profissional João de Deus

O governador Binho Marques inaugurou nesta  terça-feira, 28, o Centro de Educação Profissional e Tecnológica João de Deus, localizado  a três quilômetros do Centro de  Plácido de Castro, na Rodovia AC-40, unidade integrante do Instituto de Educação Profissional Dom Moacyr. Foram investidos R$2,5 milhões em obras e equipamentos e seu funcionamento marca o início da execução do projeto de ampliação da rede de centros de educação profissional do estado, estabelecido no Plano Estadual da Educação Profissional e Tecnológica  2009/2016.

BINH0O_CENTRO

A unidade possui oito salas de aula e três alojamentos (masculino e feminino) com capacidade para oitenta pessoas, além de uma cozinha experimental, laboratórios de imagem pessoal, construção civil e artesanato. O público-alvo são jovens urbanos e jovens trabalhadores rurais que, conscientizados pela orientação pedagógica da escola, levarão suas comunidades a acabar com os desmates e o uso do fogo na produção agrária.  Além disso, o sistema de alternância  propõe atividades teóricas na escola e práticas na comunidade. Entre 2.000 e 2,5 mil estudantes devem ser atendidos pelo CEP&T João de Deus todos os anos em ações internas e externas.  

O governador voltou a reafirmar sua política de equidade entre as regiões e citou a pesquisa IBGE/Ipea que aponta o Acre como o número 1 do Brasil na redução das desigualdades entre os municípios. “São poucos os lugares no País que tem uma escola como esta”, disse, lembrando que o sonho de pessoas como Chico Mendes, Wilson Pinheiro e João de Deus é ainda maior: “nosso sonho não pára por aqui. Ele é muito maior. O que nós queremos é que neste pedacinho da Amazônia todos possam viver com felicidade”.

João de Deus e a luta dos trabalhadores


O nome do CEP&T presta importante homenagem a João de Deus Rodrigues, que atuou na luta dos trabalhadores rurais do Acre e morreu em acidente de trânsito no final de 2000, em Rio Branco.  Nascido em 8 de março de 1952 no seringal Rio Novo, em Lábrea (AM), foi seringueiro, comboieiro e empregado de serrraria. Em 1980 mudou-se de Senador Guiomard para Plácido de Castro, indo morar em um assentamento do Incra. Em 1985 foi alfabetizado pelo então Movimento Brasileiro de Alfabetização (Mobral). De 1986 a 1991 presidiu o Sindicato dos Trabalhdores Rurais de Plácido de Castro, sendo depois eleito presidente da Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Acre  (Fetacre). Tinha vários planos, interrompidos  por uma tragédia em dezembro de 2000. (Agência Acre)

Assuntos desta notícia

Join the Conversation