Começo de semana é um dos piores do ano, com média de 228,5 focos por dia

Após um período de leve calmaria, as queimas locais voltaram a fazer o meio ambiente local sofrer muito nos últimos dias.Conforme satélite do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), o Acre registrou 914 focos de calor nos 4 primeiros dias desta semana, entre o domingo (26) até o final da noite de ontem, quarta (29). Tal valor representa um dos piores inícios de semana do ano, com a média de 228,5 focos por dia.

Para ter idéia da situação, este começo é 22% (162 focos) mais grave do que o princípio daquela que vem sendo a pior semana do ano (de 5 a 11/09: 1.555 focos). Em relação às duas semanas anteriores, o começo atual é 27,5% (191) pior do que a passada e 36,8% (246) do que a retrasada. Se fechar nesta média diária de 228,5 focos, até sábado a soma dos 7 dias deve atingir 1.599 focos, tornando esta a ‘mais nova’ pior semana do ano.

Os municípios que mais contribuíram ao fogo nesta semana foram: Rio Branco (182); Sena Madureira (100); Plácido de Castro (88); Porto Acre (77); Acrelândia (63) e Bujari (59). Todos os demais ficaram abaixo de 50 focos. Até começo da noite de ontem o Inpe já havia registrado 249 focos, dos quais 62 eram apenas nos arredores da Capital.

Com este novo boom nas queimas de setembro, o acumulado geral desde 1º de janeiro até ontem (29/9) deu um salto para 7.408 focos de calor. Os três maiores ‘campeões do fogo’ até agora continuam sendo a Capital (914, que passou à frente), Sena Madureira (826) e Feijó (776). Confrontado com o ano de 2005, tal valor ainda é mais de 3 vezes menor (361%) ao que o Inpe contabilizava de queimas na mesma data (26.761 focos).

Para combater o avanço do fogo, o Governo do Acre vem intensificando suas ações de prevenção e repressão desde o começo de junho, passando a acordar parcerias (PM, PC, MPE, Ibama, PF, CBM, etc) com instituições públicas, a fim de ampliar ainda mais a fiscalização/punição aos incendiários locais.As ações estão sendo fortificadas neste mês.    

 

Assuntos desta notícia

Join the Conversation