Marina ataca; Dilma e Serra evitam embate

No debate entre presidenciáveis realizado ontem à noite pela TV Record, Marina Silva (PV) mudou sua estratégia e decidiu partir para o ataque com críticas tanto a Dilma Rousseff (PT) quanto a José Serra (PSDB). A petista e o tucano, por sua vez, evitaram o confronto direto. A única oportunidade em que houve pergunta de um para o outro foi ao final do primeiro bloco, quando Serra foi obrigado pelas regras a se dirigir a Dilma.

Luiz Gonzalez, marqueteiro do tucano, diz que a explicação é simples: ao perguntar para o adversário, é o rival quem dá a última palavra. Plínio de Arruda Sampaio (PSOL), quarto participante do debate, repetiu a atuação de franco-atirador, provocando risos na plateia mais de uma vez.  (Folha de S. Paulo)

Leia também:

Marina: “Escândalos atingiram duas vezes Casa Civil”

O terceiro bloco do debate na TV Record entre os candidatos à Presidência voltou a girar em torno das denúncias de corrupção e tráfico de influência na Casa Civil. A candidata do PV, Marina Silva, insistiu em retornar ao assunto, que já havia sido abordado nos blocos anteriores. Ela questionou as garantias da candidata petista Dilma Rousseff de rigor nas investigações no futuro governo caso ela seja mesmo vitoriosa já no próximo dia 3 de outubro.

“É lamentável que esses escândalos tenham ocorrido por duas vezes e na Casa Civil, que está abaixo apenas do presidente. Como você pode garantir que vai evitar que isso ocorra novamente se a sua secretária-executiva (Ereníce Guerra) foi uma das envolvidas?”, questionou a ex-ministra do meio-ambiente.

A candidata petista usou da mesma moeda para rebater Marina. Ela usou o exemplo das denúncias de tráfico de madeiras na gestão da ex-ministra frente ao ministério do meio ambiente. “Você também enfrentou problemas, como o tráfico de madeiras. Onde se combateu e puniu os envolvidos. Irei fazer da mesma forma no meu governo”, rebateu.

Marina questionou também as políticas que deverão ser adotadas por Dilma para combater a analfabetismo. A pergunta formulada já tinha uma réplica fechada, uma vez que a candidata partiu para a trajetória de vida para aproximar-se do eleitorado. Ela contou brevemente a luta de vida para vencer o analfabetismo aos 16 anos, quando aprendeu a ler e escrever. Dilma foi direta na tréplica. “Eu lamento que você tenha passado por isso Marina”.  (Congresso em foco)

 

 

 

 

Assuntos desta notícia

Join the Conversation