Política local 02/10/2010

“Procurei fazer uma campanha limpa, sem comprar votos, apenas com idéias”.

Deputado Hélder Paiva (PR), sobre o fim da campanha.

Que bela ação!
As pessoas de bem não podem deixar de enaltecer as ações da Justiça Eleitoral apoiadas pelo MPE e PF nesta campanha. Nunca, no Acre, se foi tão duro para se ter uma eleição limpa. Ainda há compra de votos? Claro, mas não de forma cínica como em outras eleições. Na pessoa do presidente do TRE, desembargador Arquilau Melo, vão a todos os elogios da coluna.

Um exagero
Mas, foi um exagero a invasão ontem do gabinete do senador Tião Viana (PT), até porque se existe algum político que faz uma campanha limpa, sem doações ao eleitor, é o petista.

Não há como deixar
Ninguém em sã consciência pode deixar de reconhecer que, ao longo desta campanha o candidato ao governo, Tião Viana (PT), se mostrou o mais preparado para governar o Acre.

Equilíbrio
Ao longo dos debates, Tião Viana mostrou equilíbrio e conhecedor dos problemas acreanos, e ainda apresentou projetos exeqüíveis para, enfim, se alavancar o desenvolvimento do Acre.

Bom senador
Também deixando de lado as preferências políticas não há como negar que Jorge Viana, favorito em todas as pesquisas, será um bom senador, por ser competente e qualificado.

Contraditório é essencial
E quanto à segunda vaga de senador, o favoritismo de Sérgio Petecão (PMN) significa a certeza do contraditório, afinal, não existe democracia sem oposição, daí a importância de sua eleição.

Fortalece a democracia
O pluralismo tem que haver, não pode prevalecer a tese do partido único. E uma campanha onde o povão esteve envolvido como esta do Petecão, só vi na do Jorge Viana para prefeito.

Campanha certinha
Se ela vai render votos não se sabe, mas se há uma campanha que chegou redonda na reta final foi a do candidato a deputado estadual, Artêmio (PSDC), um moço de nome limpo e capaz.

Banda sadia
Outro nome que fez uma bela campanha foi o candidato a deputado estadual, Astério Moreira (PRP), da banda sadia dos evangélicos, não comprou votos, e deverá estar entre os eleitos.

Cumpriu tudo
O deputado federal Gladson Cameli (PP) é outro reeleito, pelo bom trabalho parlamentar, e por cumprir sempre tudo o que for acertado, além de que, é um político muito promissor.

Aguarde, Dim!
Dim, o teu está sendo tecido na fazenda “Boi Cagão”, um chicote de couro de umbigo de boi.

Flaviano Melo
Será um dos candidatos a sair mais fortalecido desta eleição, com uma votação muito acima do que era esperado e um nome certo dentro da oposição para voltar à Câmara Federal.

Sem dúvida
Após os números fechados ontem, que me foram mostrados, é praticamente certo a oposição eleger três deputados federais, o que deixa cinco vagas a serem disputadas dentro da FPA.

Euforia geral
Encontrei o deputado federal Henrique Afonso (PV) no aeroporto feliz da vida. Afinal, em todas as projeções, até dos adversários, ele aparece bem colocado e forte candidato a ser reeleito.

Artur Neto
Irmão do deputado federal Henrique Afonso (PV) pode ser uma das surpresas na nova composição da Assembléia Legislativa. Artur Neto (PMN) é um dos destaques da oposição.

Saiu limpo
Quem saiu limpo desta campanha sem denúncia de uso da máquina pública foi o bom prefeito Raimundo Angelim, que não permitiu que a estrutura da PMRB fosse usada.

Mulheres qualificadas
Nazaré Araújo (PT), Iolanda Lima (PTB), Antonia Sales (PMDB), Idalina Onofre (PPS), eis quatro candidatas a deputadas estaduais qualificadas desta campanha política.

Não conte com isso
O candidato a deputado federal Márcio Bittar (PSDB), que pode ser o mais votado, não conte com vida fácil para disputar a PMRB em 2014 se o Tião Bocalom (PSDB) for bem votado na Capital.

Nomes fortes
Geraldo Pereira, Zenildo Vieira, Jonas Lima e Ermício Sena, quatro nomes novos que despontam com muita chance de se elegerem na chapa de deputado estadual do PT.

Não contam
Os votos que forem dados aos candidatos José Bestene (PP), Bebeto Filho (PSDB), Vilseu Ferreira (PP) e Romildo Magalhães (PSC), entre outros malhados no “Ficha Limpa”, não serão computados às legendas dos seus partidos. Serão apurados fora parte. Se ganharem os seus recursos no TSE serão considerados válidos e computados, caso contrário serão nulos. 

Assuntos desta notícia

Join the Conversation