Política nacional 03/10/2010

“Meu genro, que é maior de idade,que responda por isso”.


Ministro Carlos Ayres Britto (STF), bem distante das negociações do genro com Roriz.

Lula quer comemorar com Dilma e Agnelo
Convencido de que Dilma Rousseff vencerá o primeiro turno, e também certo da vitória de Agnelo Queiroz (PT) na disputa pelo governo do DF, o presidente Lula combinou com eles comemorar as vitórias no comitê petista do Setor Comercial Sul, em Brasília, tão logo a marcha das apurações as confirme, na noite deste domingo. Lula votará em São Bernardo (SP) e Dilma em Porto Alegre. Depois, seguirão para Brasília.

Esfregando mãos
Lula quer comemorar hoje também o revés dos desafetos Arthur Virgilio (AM), Efraim Morais (PB), Heráclito Fortes (PI) e Tasso Jereissati (CE).

A vida é bela
Lula viu na internet que as pesquisas mostram Heloisa Helena (PSOL) em terceiro para o Senado, em Alagoas, em viés de baixa. Exultou.

Dupla alegria
Outros motivos de alegria para Lula: Marcelo Crivella (PRB-RJ), de quem ele gosta muito, está reeleito, e César Maia (DEM) ficará no Rio.

Certeza
Lula gostou de saber que Netinho de Paula (SP) terá mais votos que Marta Suplicy e que ambos deixarão Aloysio Nunes de fora do Senado.

Temer reassume
Com ou sem primeiro turno, a eleição presidencial já tem um grande vencedor: Michel Temer (PMDB), candidato a vice-presidente na chapa de Dilma Rous-seff (PT). Com Orestes Quércia concentrado em enfrentar o tratamento do câncer, Temer, na moita, está assumindo o controle do PMDB paulista, a maior seção estadual a opor-se ao seu comando. Tanto assim que, em São Paulo, o PMDB se aliou ao PSDB.

Virada paulista
Michel Temer já levou para o balaio dilmista três dos quatro deputados estaduais do PMDB-SP. Apenas Vanessa Damo, continuou com Serra.

Relíquias
Após o kit obrigatório de primeiros-socorros nos automóveis, o título de eleitor torna-se mais uma inutilidade na vida de quem pagou por eles. 

Piada de brasileiro
Bem observado pelo leitor Julio Gulubango, do Rio: o único documento que não serve para votar é o título de eleitor. Portugal ri de nós.

Conexão Curitiba
O agora famoso advogado Adriano Borges, genro do ministro Carlos Ayres Brito, tem relações com Luiz de Carvalho, homem forte no Paraná para obras da Copa e do prefeito de Curitiba, Luciano Ducci.

Bundões
O presidente Lula já se conformou com a reeleição quase certa de Agripino Maia (RN), a quem odeia. Mas quem paga o pato é o PT do Rio Grande do Norte, “uns bundões”, segundo Lula repete sem parar.

Torcida mineira
No debate da Globo, houve quem prestasse atenção nas reações de Aécio Neves: preocupação com Marina, simpatia por Dilma e alegria indisfarçável com o desempenho ruim de Serra, que lhe tomou o lugar. 

Falência múltipla
Ficha-suja ganha, mas pode ficar inelegível após derrotar fichas-limpas. Três milhões de eleitores enfrentaram fila em vão para tirar a segunda-via do título. “Tira o tubo”, como dizia o personagem do Jô Soares.

Los hermanos
Dilma Rousseff é a preferida de 51,3% dos argentinos, segundo pesquisa do Ibarômetro, divulgada pela agência Efe. O tucano José Serra tem a simpatia de apenas 6,4% dos entrevistados. 

Shopping eleitoral
Para a revista francesa L’Express, a “despolitização” da campanha no Brasil mostra os eleitores mais interessados nas compras de Natal que nos discursos políticos”. Tomara que não ganhem presente de grego.
 
Portal do paraíso
No debate da Globo, tivemos candidatos plácidos, respostas etéreas, cenário futurista com colunas diáfanas. Foi debate ou versão-pirata (e ruim) do filme “Nosso lar”? O grande vencedor… foi o candidato Morfeu.

Ricardo, o pensador
Do deputado Ricardo Berzoini (PT-SP), ex-ministro da Previdência da fila dos velhos: “Em 2002, a esperança venceu o medo. Em 2006, a militância venceu o cerco. Em 2010, a consciência vencerá a farsa”.

Terceirona
Piada catarinense: a candidata petista ao governo virou Ideli Perdutti.

PODER SEM PUDOR

Diálogo de surdos
Quando alguém comentou a excelência do filme “Olga”, durante um jantar com políticos, o presidente Lula contou seu diálogo de surdos com o lendário líder comunista Luiz Carlos Prestes, nos tempos em que era sindicalista do ABC e organizava o Partido dos Trabalhadores:
– Ele disse que o meu problema é que eu não era um “operário científico”. Até hoje eu não sei o que é isso…

Assuntos desta notícia

Join the Conversation